segunda-feira, outubro 20, 2008

A importância de odiar o IC19

De manhã, não há pontos negros nem sinais vermelhos no IC19. É tudo um grande fosso de carros, motas e camionetas-na-faixa-do-meio numa espiral de pára-arranca que mais parece uma passadeira rolante avariada, barulho de tubos de escape que já tiveram melhores dias em conflito com os pi-pi-pi das notícias à hora em ponto, janelas abertas e cigarros que fumam condutores, olhos encovados e cheiro a sono, energia transformada em mau humor. Não podia ser de outra maneira. Para as centenas de pessoas que, todos os dias, enfrentam o calvário de fazer o trajecto Sintra-Lisboa por este itinerário complementar, é de estranhar que tão poucas (ou até agora, nenhumas) se tenham tornado bombistas suicidas. É que se eu, que vou em sentido contrário e já sinto tremores corpo acima corpo abaixo naqueles 20 minutos que, só por ser manhã têm de ser 50, tenho instintos assassinos, como é possível acreditar que no meio daqueles desgraçados (e perdoem-me, mas não há palavra melhor para descrever quem passa por esta chacina diária) não haja ninguém com tendências, digamos, violentas? Há. Faz agora dois anos que um bancário, recentemente promovido e acabadinho de casar, perdeu a paciência para o trânsito: farto de se levantar às cinco e vinte e três para pôr o carro num "bom lugar" na fila de entrada para a primeira saída que dava acesso ao IC19, deu um tiro na cabeça e foi ocupar espaço no jardim das tabuletas. Não aconteceu mas, garanto-vos, podia ter acontecido. 

3 comentários:

Miss V. disse...

Alguém que me compreende!!!

Nota: eu sou uma bombista em potência... só hoje foram 1:30 da minha vida entre um ponto dessa estrada fascinante e o Parque das Nações... não contente em fazer esse itinerário fantástico que pulula de vida de manhã e que vai da serra de sintra até à escola superior de comunicação de Lx, ainda tenho de desbravar a 2ª Circular até ao fim...
Devo ter feito mal a alguém na minha antiga redacção para sofrer esta sina.... ;)

P.s. Tás na Impala?

Sadeek disse...

IC19...IC19...a nossa Route 66 (pelo menos o tempo que se demora a fazer ambas de uma ponta à outra deve ser o mesmo....)...

"K"...é uma questão de tentar aligeirar a coisa...estabelecer contactos via bluetooth com outros que vão na mesma situação...ouvir música...ler...tudo o que nos possa tirar um pouco a carga negativa que tem andar numa fila durante horas...

M disse...

Eu cá adoro o IC 19 ao contrário, como lhe chamo. Ainda hoje de manhã fi-lo todinho a rir-me com baboseiras de um gajo e de uma gaja a falarem na telefonia. E ri-me mesmo. Porque eram autênticas baboseiras e são todos os dias baboseiras.
Encaro o IC 19 ao contrário como um jardim, no qual eu vou no passeio, e ao meu lado, do outro lado, os carros são flores, coloridas. Imagino que cheiram bem, que têm um aroma floral, daqueles do campo.
Aprendi a gostar do IC 19 ao contrário. Achei que para lá de odiá-lo, era mesmo gostar dele. Até porque a minha tendência é contrariar as coisas. Gosto disso. E desde então, todas as manhãs, são vinte minutos de IC 19 ao contrário. E passam bem, passam rápido!