sábado, fevereiro 07, 2009

"Os Produtores"

Muito para fugir ao cinzento escuro que pautou a minha semana, ontem fui à antestreia de "Os Produtores". Já tinha visto o filme, tinha gostado, e à partida achava que este leque de actores era uma boa aposta (com excepção da Rita Pereira*). Não me enganeim e estes produtores (os da Cherry) cumpriram o seu papel: temos um grande espectáculo. Vamos então aos finalmentes. O Miguel Dias é um portento em palco. E tem uma voz potentíssima. Manuel Marques, meio metro de homem e um gigante na representação, é perfeito como o contabilista-produtor "desgraçadinho" - não podia ser outro actor a fazer este papel! Rodrigo Saraiva, o miúdo que em tempos vimos nas novelas juvenis, arrancou a maior ovação da sala. Completamente merecida. Foi o meu preferido. Ele e Pedro Pernas, um "desconhecido" do grande público, que depois deste musical terá pouco tempo para ficar estendido no sofá. Custódia Gallego, uma das minhas actrizes preferidas, tem uma personagem demasiado pequena, mas é suficiente para mostrar porque é que é uma das melhores actrizes portuguesas (se não a conhecem, vejam o filme "Esquece Tudo o que Te Disse", e apaixonem-se por esta criatura do outro mundo). Já Rui Mello, que tenho em grande consideração, não me convenceu. Nem os vestidos extravagantes ajudaram. Por último, Rita Pereira. Eu fiquei sem saber se ela realmente consegue cantar ou não, porque a acústica não estava no seu melhor (era só a dela! curioso...) , só que uma coisa é certa: esta Ulla esforçou-se bastante, e consegue fazer-nos esquecer, por momentos, a rapariguinha que aparece em tudo o que é revista e telenovela da treta. Ah, e dança bem*. 
De resto, tudo quase perfeito. Um grande cenário. Uma rotatividade de palco muito bem cronometrada. Um fantástico ensemble - ah pois é, os musicais não se fazem só com os actores ditos "principais", há um grupo enorme de dançarinos por trás - e uma boa adaptação do texto original. O pior mesmo foi um ou dois monólogos do Miguel Dias que eram perfeitamente dispensáveis de tão maçadores. Mas o que são miudezas, quando o geral é francamente valioso? Já sabemos que Lisboa precisa de espectáculos, precisa de mexer. Com musicais destes, com produções destas, Lisboa ganha um bocadinho mais de vida. E nós ganhamos também.

*Pessoa que respeito muito, blá blá blá, mas na qual não vejo quaisquer vestígios de cérebro
**No entanto, a minha não-simpatia pela menina mantém-se. Ela é o que é, e não são três piruetas que me fazem mudar de ideias

4 comentários:

Anónimo disse...

Eu queria ver a peça mas mudei de ideias quando vi a escolha do elenco...Rita Pereira? Nem actriz é!!
Se repararem nos jornais sai " Angélico nao compareceu"...é a isto que me refiro nao ha talento ha sim um casal "sensaçao" das revistas. Nada mais-

Lux Lisbon disse...

Partilho a tua opinião sobre a dita...do pouco que privei com ela fiquei com a mesmíssima sensação...
kiss

Lolita disse...

Quando o musical esteve aqui em Coimbra à 15 dias atrás também fui ver e foram umas boas horas de gargalhadas. Escusado dizer que o Teatro estava cheio, são poucas as peças de teatro que chegam a Coimbra (com muita pena minha). beijinho *

Sanxeri disse...

Nao sou muito apreciadora de teatro e o Miguel Dias irrita-me solenemente. :P

Mas, nao sei porque, julgo que ia gostar desta peça.