domingo, janeiro 25, 2009

"Revolutionary Road"

Qualquer filme que venha depois do "O Estranho Caso de Benjamin Button" é sempre menos bom. Serve o mesmo para este "Revolutionary Road" - não é nada de revolucionário, mas nem por isso deixa de ser inquietante. Só que cheira demasiado a vamos-lá-fazer-um-filme-daqueles-que-os-intelectuais-gostam. Está tudo demasiado certinho. Grandes actores? Check. Óptimos planos? Check. Bons diálogos? Check. Argumento cuidado? Check. Kate Winslet no seu melhor? Check. DiCaprio mais uma vez a mostrar que de puto só tem a cara? Check. E por aí fora. Ainda assim, o que me chateou mais foi saber que, para o bem e para o mal, um dos meus maiores medos é chegar ao ponto em que se encontra o casal do filme: não são as brigas, é descobrir que aquela ideia de greatness que guardo cá dentro afinal não passa de uma enorme ilusão.

11 comentários:

Sunrise disse...

Não percas já a esperança...

Olho de Lince disse...

Anseio por ver ambos os filmes. Mesmo. Mas com tudo o que já li acerca de "O Estranho caso de Benjamin Button"... caramba, deve mesmo ser avassalador!! Mal posso esperar.

Clementine Tangerina disse...

Senti o mesmo...e eu vi o filme antes do benjamin...falta algo...mas gostei!

Miss Pu disse...

Como é que é isso de ir ao cinema todos os dias?! Não me digas que arranjaste um part time nas salas do El Corte Inglês...
hummm?

beijo

Miss K. disse...

ó pu, mas tu achas mesmo que eu vou ao cinema?! só ver o benjamin e o allen...

Madame Butterfly disse...

Ainda não tinha dado pela existência deste filme...

Miss Mafitahs* disse...

Ainda não tive oportunidade de ver o Benjamin mas vi este e gostei bastante! Estou ansiosa para ler o livro no qual se baseou.

Karlytus disse...

pra mim é um erro q cometemos demasiadas vezes.. porém inevitável: comparar.. comparam-se filmes.. músicas.. pessoas.. e isso é mau! Devemos aferir do valor de determinada coisa pelo q é e segundo certos parâmetros contudo devemos fugir da tentação de comparar.. ;)

Eu tb o faço.. todos fazemos.. mas pra mim é de evitar.. ;)

Qt aos filmes.. prefiro o Benjamim.. loool ;)

Beijinhos!

nika_liu disse...

No começo as espectativas e as ilusões são sempre demasiadas, mais tarde a realidade não tem necessariamente de ser pior...
Por acaso não estou estou muito afim deste filme, estou mais curiosa com o Benjamin e com o slumdog...

... disse...

Miss Mafitahs:
Lê o conto, vais encontrar uma surpresa. O conto do Fitzgerald é um conto amargo, caústico, irónico e depressivo, o que torna ainda mais interessante a reflexão sobre esta adaptação, que é romântica, nostálgica, e positiva. Considerando que o conto foi escrito em 1921, nos píncaros da Jazz Age, que ainda sem saber deslizava para a grande depressão de 1929, e este adaptação para cinema é feita num altura de crise, é interessante verificar a inversão do tom da história...

Isabel disse...

Eu também morro de medo de que tudo não passe de uma grande ilusão.