quinta-feira, dezembro 04, 2008

"Amália"

Quando Ricardo Espírito Santo apertou a mão de Amália, sentado na eternidade da sua cadeira de rodas, o meu coração gelou. A minha memória gravou, no canto das coisas impossíveis, o olhar daquele homem que morria a dizer adeus, e a esperança da mulher que então parecia acreditar nos dias felizes. O António Pedro Cerdeira, que teve de ir ao Olimpo dos actores para fazer este papel, tem um dia de viver um amor assim, é-lhe devido. E a Sandra Barata Belo, um monstro da representação, ganharia na certa um Oscar, vivesse ela em Hollywood. Não é exagero, é assim. Bastavam as cenas entre os dois e tínhamos filme. Fizeram-se mais, juntou-se a extraordinária Carla Chambel como irmã da diva, e o resultado final é um poema de imagens em movimento, sem rigidez nem ordem certa, tal qual a vida da cantora maior da alma portuguesa.

7 comentários:

Joana disse...

Agora estou confusa... estarei rendida ao que escreveste ou ao filme sobre o qual escreveste?...
:)
Mesmo que não o vá ver, já sei tudo o que preciso sobre ele.

Vanita disse...

"É um poema de imagens em movimento". É mesmo isso :)

Pips disse...

Estou cheia de vontade de ver...e nem sei bem porquê.

Anónimo disse...

andas muito mitológica ou greco-mitologica ou lá o que é.
é que quando li a última declaração, a do eugénio de andrane, veio-me à tola a fénix.

ainda não vi o filme mas ando curioso dada a minha falta de cultura e pelo interesse sobre como (julgo) o coração dela voava

bom texto ;)

Isabel disse...

Quero muito ver. Acho que não vai passar deste fim-de-semana.

Su disse...

Miss, roubei à descarada um texo teu, de Abril e coloquei-o no meu blog, com a devida indentificação e resepctivo agradecimento. Espero que não haja problema!
Também quero muito ver este filme, mais agora com esta opinião (que me é tão válida;)) Bjs

Anónimo disse...

Que filme de merda. Sim, tem uma bela interpretação da Sandra Barata Belo e alguns bons momentos, mas como um todo é uma amálgama parva. Vale, ainda assim, a voz incrível da Amália e a história intensa da vida dela, que dava um excelente filme, mas não este.