sábado, agosto 02, 2008

São fases, meu senhor, são fases

Há muitos anos que não passava um dois d'Agosto fechada em casa. A gente pensa sempre que já passou tudo o que tinha para passar, mas não. Existem coisas que estão sempre prontas para nos acontecerem a nós, sendo ou não prováveis de se passarem connosco. É por isso que eu agora estou neste sofá beje-encardido, rodeada de revistas, pó e saudades, televisão e barulho de carros, música e cigarros, mantas e ventoinha, almofadas e jornais velhos, garrafas de água e télémoveis, e não estou numa praia qualquer, a jantar num restaurante com os suspeitos do costume, a preparar-me para mais uma noite das arábias. Não vou escrever que as noites das arábias já lá vão - seria demasiado fatalista, ainda só tenho 26 anos, com certeza passarei ainda umas noites porreiras. No entanto, se agora fosse obrigada a imaginar-me noutro sítio que não a minha casa, seria incapaz. Ando tão fechada na minha concha, tão concentrada no meu papel de bicho-do-mato, que nem me lembro como é ser a K. do costume... Deixei de ser a party girl sem sono, que não se cansa e não pára em casa, para ser esta mosquinha morta que assumiu totalmente o lado não-gosto-de-mim-vou-só-mandar-me-abaixo-mesmo-sem-dar-conta-disso. Há uns meses atrás a geek-psicótica e a Miss futilidade eram amigas forever. Actualmente, e mesmo sem batalha nem guerra, só a primeira existe. A minha consciência social acabou. Sou uma nano-amiga, e se dantes exagerava em tudo o que era festa, agora exagero em tudo o que é tempo passado em casa. É. A gente pensa sempre que já passou tudo o que tinha para passar, mas não. I rest my case. Já fiz muito. Já viajei muito. Este Verão pertence a outras pessoas, a K. ficou em Lalaland.

17 comentários:

Arcanjo disse...

Como dizias à uns posts atrás sehja voce mesmo mas nao seja sempre o mesmo ;)... Ainda bem que evitaste o fatalismo por vezes até a dona da festa precisa do seu proprio tempo...À momentos para tudo e este é o teu momento para procurares o teu proprio tempo...
A k de sempre embora não conheça continua em ti da-lhe o tempo que ela mesma espera ter para que seja ela mesma sem ser sempre a mesma...


Saudações
Arcanjo

NonSense disse...

Então pá?... Não podes... Chama-me egoísta mas és tu que me costumas alegrar com as tuas palavras (tu e outras meninas da blogosfera) quando tou deprimida em casa!No sofá, rodeada de chá e bolachinhas e blá blá blá

P.S. No pressure..

Daniela disse...

Bom, se te deixar um pouco melhor...eu estou sentada numa cadeira dura, em frente ao computador, sem revistas, rabugenta, num daqueles dias de caca e sem cigarros =/

*

Anónimo disse...

Não é bom deixar os amigos de lado .Apesar de poderes ter uma dor só tua , ter conforto e mimos de quem gosta de ti só fará bem .
Bom Fim de semana

Lua disse...

E eu também...

Dry-Martini disse...

Vou providenciar um tapete voador para mudar de ares .)

XinXin

Carlos Rangel disse...

Como tu dizes, são fases. E não há nada melhor do que parar um pouco, deixar "assentar a poeira" e depois sim, seguir e continuar o caminho.

Anónimo disse...

Hum, o verao ainda é gde, esse rest n é o tempo tdo pois n??

Pedro

Miss Pu disse...

É, já não temos 16 anos...

Ainda assim, foi bom o weekend?

kiss da miss

Poisoned Apple disse...

Tenho na cabeça o esboço de um texto parecido. Enfim...

E quando tinha a tua idade também tive os "amigos" que se revelaram. Não fiques triste, com o tempo percebes que mais vale fazer "limpezas". Os verdadeiros ficam sempre, incondicionalmente.

Joana disse...

isso é só neura de fim de semana! :) Vai passar!
... se não faz como diz a música do Toi "se queres dançar e não tens par, cham'Ó António, cham'Ó António!"

Lux Lisbon disse...

Eu chamo a isso o "descanso da guerreira"! Ás vezes há que parar e olhar muito bem para o próprio umbigo :)

Su disse...

Oh Miss, desculpa a pergunta e a ignorãncia se for esse o caso, mas "Agente" (de nós) não é separado?
Em todo o caso...há fases em que é preciso parar, abrandar...estou a passar por um período muito semelhante e ouvi algumas pessoas dizerem-me (entre as quais a minha querida mãe) que este abrandamente chama-se amadurecimento...a vida tem outras coisas também, outros ritmos, outras horas...pode ser só isso.

Anónimo disse...

Gostava imenso de deixar de ser anónimo e ir te buscar a Lalaland e partir à descoberta de alguma coisa que vejo sinto mas falta coragem...
És para mim no silencio das tuas palavras algo que não existe...
B
T

Ana disse...

Li este texto e identifiquei-me e, por isso, decidi deixar um comentário.
Já há muitos anos que não passava um princípio de Agosto em casa. Apesar de sair, de fazer coisas regulares, não vou à praia e só estou muito ocasionalmente com amigos. Também não me apetece estar com ninguém, não faço esforço para dar sinais de vida, logo é natural que passe os dias sozinha. Chatea-me que a única pessoa com quero estar, não queira estar comigo (não é sempre assim?).
Embora não me considere actualmente uma party girl, em determinada época acho que o fui. Não parava em casa, estava sempre rodeada de amigos. De há uns anos para cá tudo mudou, lentamente, mas mudou. Há uma parte de mim que quer voltar a ser essa pessoa e outra parte de mim que sabe que não vale a pena, pois se não sou a mesma... nem sequer conseguiria agir da mesma maneira que agia. Enfim... Espero que seja pelo melhor, que aprenda com as mudanças que vão acontecendo na minha vida e que valha, realmente, a pena.
Beijinhos* Gostei muito do texto

Miss K. disse...

su,

desculpa só responder hoje, mas tenho deixado a cabeça de molho... claro que sim, ainda bem que reparaste, é um erro colossal! beijo grande, miúda!

vds disse...

Deu que pensar.
É verdade, não podemos tomar nada como certo... só esperar que as coisas certas durem o tempo certo para as podermos disfrutar.
Boas ferias, ainda que em casa ha coisas giras para fazer.. usa a criatividade que se sente que tens*