terça-feira, agosto 05, 2008

Anti-manifesto

Não conheço nenhuma mulher que não dê tudo por tudo. Com um homem, claro. Duvido que com muito mais coisas uma mulher dê tudo o que tem e o que não tem. Talvez com o emprego - mas pensará, decerto, duas vezes. Talvez com os filhos - mas para isso já deu tudo por tudo com o homem que os ajudou a fazer. Por isso, mais cedo ou mais tarde, qualquer mulher dá tudo por tudo. E o que não tem vai buscar. Até a mulher que parece mais distante, mais insensível, está a dar tudo por tudo. É que nós, mulheres, já nascemos com aquele instinto fatalista que nos leva a galgar este mundo e o outro só para ver meio sorriso num exemplar do sexo oposto, mesmo quando - e apesar de - ele nos dá para trás. Faz parte da nossa natureza. Mas nem por isso nos transforma em escravas do coração. Há sempre o dia em que, de repente, saímos do piloto automático, e já não temos nada para dar; sugaram-nos tudo. Normalmente acontece quando menos se espera, porque passarmos a dar tudo por tudo a nós próprias também é da nossa natureza.

10 comentários:

apipocamaisdoce disse...

Clap, clap, clap. Textinho para recortar, guardar e reler muitas vezes. Kiss!

Miss Pu disse...

"Até a mulher que parece mais distante, mais insensível, está a dar tudo por tudo."

Definitely...

Su disse...

Bingo!

Anónimo disse...

Parabens pelo texto. Masterpiece mesmo.

wednesday disse...

E ainda dizem que somos o sexo fraco...

Kitty Fane disse...

É mesmo isso. :-)

Beijinhos

Leona disse...

Mas a agravante é que continuamos a dar tudo por tudo, de cada vez que nos apaixonamos, mesmo que tenhamos ficado esgotadas da última vez que nos “sugaram”. Tudo se regenera...

MiSs Detective disse...

só qando sabemos, bem cá de dentro, que vale a pena e quando são os outros a dar mo primeiro passo. é raro uma mulher arriscar primeiro. de qualquer forma, para mim a partir daí tudo o que escreves é exactamente isso!

poupinhas disse...

Miss K. sábado dei tudo por tudo a um homem a quem eu chamo de limão. Acontece que o limão achou que fui demasiado "dura" em lhe ter dito o que pretendia. Podemos dar tudo por tudo, mas quando a coisa não avança nem arranca apetece desistir. E será que vale a pena desistir, mesmo quando o sumo é azedo? admito que foi a primeira vez que levei com a tampa, e não gostei nada, parecia de esgoto. Já agora gostei do post o "olho esquerdo". Já sentia burburinhos desse filme, mas com avtua descrição hj vou procurar o dito. Um beijinho

Luis disse...

Mas isso funciona nos dois sentidos... ;)