terça-feira, julho 29, 2008

A corda

Foram tantas as vezes que tentaram separar a minha cabeça do meu corpo, mas em vão. Esqueceram-se que a minha cabeça e o meu corpo nunca estão colados, e que no entanto estão sempre juntos. Porque as coisas que nascem pré-destinadas nunca se perdem, mesmo que haja uma eternidade a separá-las.

1 comentário:

Daniela disse...

Às vezes sou eu própria que gostaria de ter a cabeça separada do corpo.

Daria tanto jeito às vezes...

**