segunda-feira, agosto 27, 2007

A miúda que mordeu o cão

Aqui no blog a caixa de comentários tem uma média de 5/6 por texto, de vez em quando lá chega aos 12 ou 14, mas ultrapassar a barreira dos 30 é coisa dos insólitos Yorn! Só que não é preciso ser muito esperto para perceber porquê: o post que deu azo a tanto sururu tinha como tema "O novo homem do século XXI" e, de carrinho, as suas características, segundo a visão, experiência (vivida, testemunhada, conversada, trocada por miúdos em cafés, visionada, enfim...) aqui da K.. Foi o alvoroço que se viu. A testosterona atingiu níveis nunca vistos para estes lados, e descobriu-se a nova-pólvora-velha: quem quer um blog com sucesso basta começar por falar de homens, principalmente se for numa visão pessoal e, de preferência, polémica; com o tempo apimenta os posts com assuntos mais hardcore (atenuados com um humor de lavar escadas) que não entram no léxico deste cantinho, e está feito! São as maiores da blogosfera, as mais divertidas, as mais lidas, as mais controversas, as mais...
Bom, este blog pode não saber para onde vai, e não sabe, mas decididamente não vai por aí. Temos Pena. Preferimos ter menos comentários e menos confusão, em troca de mais sinceridade e mais emoção. Foi sempre assim, e não é agora que vai mudar.

7 comentários:

Caltuga disse...

Diria antes, "a miúda que mordeu a sua própria mão." Relax Miss K., deste a tua opinião pessoal e as pessoas responderam, não é o fim do mundo! Afinal, não é para isso que um blog serve? Não temos todos de ter a mesma opinião, mas sim saber estar abertos ao diálogo. Cada um fala pelas experiências pessoais, sendo que todas são válidas, e não devemos afastar as pessoas só por não concordarem connosco. Falo por mim, o teu blog é dos que me dá mais prazer acompanhar, e espero que tenhas a abertura para permitir que assim continue. MH.

Miss V. disse...

De facto um blog � isso mesmo. Exprimimos o que pensamos, o que sentimos e no fim do dia (para alguns) at� gostamos de ler o que os outros que nos leram pensam. Mas se ficamos confusos quando n�o percebemos que podem haver pessoas ou mais clarividentes, ou que simplesmente j� passaram por coisas parecidas e que podem at� dizer de sua justi�a porque se calhar, s� se calhar, j� viveram um bocadinho mais que n�s... isso pode denotar falta de flexibilidade. Podemos at� achar que ningu�m � mais dono da nossa raz�o que n�s. Mas tamb�m n�o acho que algu�m tenha querido minimizar as tuas certezas sobre os homens que conheces. S� dar-te um outro ponto de vista para o mesmo problema.
Ah.. e NOINTIENDO porque um dos meus coment�rios n�o foi aprovado... Na democracia do �ltimo post j� n�o havia espa�o para uma �ltima interven�o desta Miss?
Espero que n�o me tenhas levado a mal. Gosto imenso do teu Blog (e eu fui a primeira a dizer que tamb�m j� pensei como tu).

Miss K. disse...

querida miss v.:

publiquei todos os teus comentários, se não está lá, é porque não chegou a "bom porto"...
quanto a este post, de facto ninguém percebeu o que escrevi. ele serviu apenas para evidenciar o facto de como temas mais "polémicos" enchem uma caixa de comentários e podem tornar um blog famoso, e eu apenas disse que não era isso que queria para o meu - é de uma pequena minoria, e blogs desses há muitos. nunca teria a ver com a liberdade de expressão e opinião dos outros sobre a minha - para isso não criava um blog, passava os meus dias a venerar Hitler... ;)

Miss V. disse...

Ah.. estou mais descansada...
E eu que pensava que tu veneravas o Fuhrer ;)

Percebo então que o meu post (tão bonitinho que ele estava) :( se tenha perdido..
De facto nada como uma boa polémica para alimentar um blog. Da minha parte, continuarei a ler e a comentar sempre que sentir que acrescento alguma coisa. Espero poder pertencer a tao honrosa minoria. Gosto das tuas ideias e é bom imaginar como são as pessoas que estão por trás de ideias tão bonitas, doces e sensíveis.
Alma de jornalista :)

Beijinho grande,

Miss K. disse...

alma de jornalista :), mas das que ficam em casa a sonhar com o dia em que voltam a ter uma mesa e um computador só para elas... agora, só mesmo o meu portátil e o meu sofá!

Dino disse...

Por pouco me enganavas! Mas lá no fundo ou mais à tona doquê me parece, não para tão cedo ou tão explícito, esperava este post. Pois parece que este comentário é um copy paste dum balão que saiu da minha cabeça após ter lido o "O "novo homem" do século XXI".

100 Sentidos disse...

E eu acho muito bem que mantenhas isso assim...
Viva a congruência interna para variar!