sexta-feira, março 16, 2007

Porque é que a vida não tem de ser necessariamente má

Deste lado não se fazem ovos estrelados. Não se faz massa com esparguete (não, a escriba não se enganou). Não se cozem batatas a murro, só se dão murros em batatas. Não se faz peixinho frito nem bifinhos com molho de mostarda e café. Não se preparam alheiras, farinheiras nem eiras nem beiras. Não se distingue uma dúzia de arroz de arroz para uma dúzia. Deste lado não há maquilhagem water-proof, porque não há maquilhagem. Não há eyeliner camuflado porque não há eyeliner. Não há sombra cinzenta esbatida porque não há sombra de cor nenhuma. Não há blush caramelo porque não há blush, nem de caramelo nem de lollipop. Não há gloss kiss-proof porque não há gloss, nem kiss, nem proof (uma pena não haver kiss). Deste lado não há móveis de aspecto "Habitat" ("área" ficava aqui mal). Não há espelhos com vontade de se verem ao espelho. Não há ecrãs plasma (não há ecrãs). Não há cortinados to die for. Não há sofás eu ficava aqui a minha vida toda. Não há casa o que eu matava para morar aqui. Não há carro deixas-me conduzir um bocadinho? Não há ordenado que justifique uma conta bancária. Não há emprego certo que legitime a existência de um mapa de férias. Deste lado não há nada disso.

Mas... Há um sorriso que ainda vai iluminando algumas ruas desertas. Uma teimosia que todas as noites se deita iludida num mundo melhor. Uns dentinhos de miúda que me transportam para momentos que já ficaram para trás. Uma gargalhada alta e sincera que se partilha com quem gosta de medir os pulsos à vida. Uns amigos que valem por todos os que não fui a tempo de ter. Uma vontade de ver, de ir, de fazer, de revirar, de sentir, de perguntar, de descobrir, de mexer, de revolver, de procurar. Um medo de perder horas a ter medo, e que me abana e me impede de ter medo. E mais coisas, e tantas coisas, que as outras, esses pequenos-grandes nadas em que sou um zero à esquerda, não têm realmente importância nenhuma.

10 comentários:

Pedro Santiago de Tânger disse...

Aí há um sorriso que se sente nos olhos, há momentos cristalizados em desvairos que se acompanham de uma forma tão doce e agradável que passam a ter vida! Aí há tanto!

E os segundos contam para a felicidade a vir! Eu vou sendo feliz, não querendo ser infeliz!

e esse sorriso, esse gesto lançado no pensamento que fugiu, esse olhar que se dissipa quando o que vê é demasiado forte para se manter sentindo, os cabelos brancos que escorrem por entre a tela que és!

e tudo isso?...onde?...eu na areia deixei de ver...

Joana disse...

Ainda bem que há tanta coisa bonita! :)
Ainda bem que a partilhas connosco!

Que este fim-de-semana a comercial trate bem do teu estaminé!

beijinhos

Nuno West disse...

Afinal há tanta coisa...

às vezes Ele, às vezes Ela disse...

Mas...
E não são sempre os mas que dão cor à vida?!

:-)

[ The Man Who Will Rule The World ] disse...

KISS GLOSS OU GLOSS KISS! do que me lembrei! aquele brilhantezinho cor de rosa não é? ai meu deus! ai meu deus!
se há maneira de uma mulher me dar a volta é a usar essa invenção dos deuses nos lábios!
Não irei mais ler o blog de vossa excelencia pois provoca desejos estrictamente deliciosos no meu corpo!
ps: estou grávido era só para saberes!

Mir disse...

Desse lado há tudo, portanto! :)

El-Gee disse...

onde é q tas?

(escuso-me a elogiar o texto, que está uma delícia, como de costume)

Cátia disse...

Ola, passei por aqui e gostei do que ouvi... ou do que li! Escreves mt bem e sentido! Voltarei por certo.

A simplicidade é a nossa melhor verdade, não é necessario mascaras, maquilhagem, gloss ou o que quer que seja. Necessitamos de ser nós... em toda a essencia! E o melhor já possuis, aqueles amigos que estão lá...

Quanto aos nadas... não passam de isso mesmo: nada!

Convido-te a visitares o meu cantinho também, que embora modesto, receber-te-á mt bem.

Um beijo
www.cticho.blogspot.com

Miss K. disse...

nuno: tanta coisa - e tão boa.

mir: deste lado, desse lado, em todos os lados...

el-gee: se não os achasse muito despropositados, agora era altura de utilizar aquele "smile" envergonhado!

pinky disse...

que pena não "te" ter ouvido, mas já fico contente por te lêr ;)