domingo, março 18, 2007

Nua. Completamente nua.


Foi assim que me senti, este fim-de-semana, das duas vezes que leram o blog na rádio. Não é fácil entregar as nossas palavras a outra pessoa - se já custa muito vê-las partir de nós, cada vez que as transformamos em texto e as deixamos voar para o mundo de quem as lê, é quase cortante deixá-las tomar corpo na voz de alguém, soltá-las no éter, e deixar que corram por ventos e curvas que não podemos controlar. Foram só uns posts, claro. E nem foram daqueles que mais carregam o peso da minha alma. Ainda assim. Pensar que outros, para além de mim, estavam a ouvir aquilo, e a pensar naquilo (e o que pensariam os ouvidos que escutavam as minhas pequenas coisas?), deixou-me paralizada. Estariam seis, sete pessoas a prestar atenção? É muita gente... Fico tão confortável nos braços de quem me lê, de quem me sabe todos os dias, que sentir-me no mundo das coisas palpáveis assustou-me tanto que a aparelhagem tomou proporções gigantescas e engoliu a minha sala... Estariam seis, sete pessoas a prestar atenção? Seriam esses os olhos, as mãos e os ouvidos que sussuravam à minha volta, naqueles minutos em que a escrita acabou com o meu rio e não me deixou margem para nada?

14 comentários:

Sofia disse...

Foi devido a ter ouvido na rádio, a flar so teu blog, que eu vim aqui ter.
Adorei, senti que expressas muito bem por palavras aquilo que sentes.
Foi de certa forma fabuloso, ir de viagem de Castelo Branco para Lisboa, e ouvir as tuas palavras.
Se escrever é o teu vício, acho que é um excelente vício, fez-me estremer por diversas vezes.
Adorei o teu blog.
Os meus sinceros parabéns!!!!

Joana disse...

Parabéns! Ainda bem que gostaste do resultado final e soube bem ouvir o só tu falas de ti para ti! :)

El-Gee disse...

Nao ouvi. Nem sabia que iam ler o teu blog na rádio.

Seja como for, prefiro ler do que ouvir. Pode-se voltar atrás, parar para reflectir, maturar uma frase durante dois minutos, reler todo o texto...

Pode-se fazer muita coisa quando o texto está escrito.

Anyway, ainda bem que apareceu na rádio, assim vai ser ainda mais divulgado, e é bom que possas ser lida.

bj*

kalash disse...

É sempre um enorme prazer ler ou ouvir as tuas divagações existencialistas, piadas momentâneas ou disposições diárias. Gostei muito de te ouvir pela voz da Sofia Morais, mas nada como "invadir" diariamente as palavras tão certas que brotam dessa mente brilhante.

Parabéns e Beijinhos

P.S. "Esquadros" foi arrepiante depois daquele post... ainda mais que o costume.

MysterOn disse...

Não ouvi! apesar dos avisos! Sorry.

Vou lendo ;)

Lino disse...

Cara Ana

Muito boa tarde, foi com muito gosto que ouvi e a vi da mesma forma quase nua, já que os seus 25 anos são iguais aos de muitos outros, conturbados e controversos nos acontecimentos e nas passagens. Não se sinta descrente do que lhe digo, talvez a verdade seja unica e exclusivamente de que os 25 anos anos vão ser sempre assim daqui para a frente.

Ouvi ainda a sua "escrita" num espectacular espelho do que é Lisboa, dos amantes dos electrico das vaidades do Tejo... foi lindo confesso.

Quanto às suas depressões femininas, nada a fazer, parecem ser de forúm normal, não as leve a mal, são ciclos e mais ciclos que atravessam como comboios avassaladores a sua vida e a de qualquer mulher. Parabéns é uma mulher.

Parabéns pelo feito e não se deixe despir muito mais vezes olher que se constipa. Foi lindo o ouvido na rádio.

Atentamente
da Silva Costa
http://versejoslivres.blogs.sapo.pt/

Clementine Tangerina disse...

A mim também ja me aconteceu e olha que adorei o resultado...as musicas escolhidas, os textos foi tudo perfeito...as vezes vou lá ouvir alguns pela voz da Vanda Miranda, pois bate uma saudade!

Cátia disse...

Ola...

Ouvi... gostei... passei... e fiquei...

Acredito que tenhas sentido aquele friozinho na barriga, é normal... mas havia certamente mta gente a ouvir... e a prestar atençao!

Um beijo

às vezes Ele, às vezes Ela disse...

Eu ouvi e gostei!

Mais, Lisboa tem de devolver-te em justa moeda esse teu carinho por ela demonstrado...

Ele

Nuno West disse...

Mas é bom...

Deve ser bom ter alguém, sete, oito pessoas a ouvir-nos...

Suzi disse...

Bacana, isso, hein??
Não sei de nada parecido, aqui no Brasil.

Filipa Moreno disse...

Fui eu mais uma das seis, sete pessoas que prestavam atenção ao rádio naquele momento, às voltas no Porto, à espera da hora do comboio que me traria a Coimbra para mais uma semana de aulas. Ouvi e gostei. Não duvido que não tenha sido fácil ouvir o eco das tuas palavras na boca de alguém, eu própria me arrepio sempre que ouço algo escrito por mim a ser lido por outra pessoa, mesmo que essa pessoa seja um amigo... ou até mesmo a minha mãe. Consigo imaginar a tua sensação de desconforto.
De qualquer maneira... se isso não tivesse acontecido provavelmente nunca teria vindo visitar o teu blog. Apreciei a tua coragem e as palavras que partilhaste. Por isso vim. E virei mais vezes, muito provavelmente.
Parabéns pelo blog e pela coragem de o partilhar. :)
Beijos.

Pi

nika_liu disse...

Não sabia! Mas espero que apesar de te ter deixado esse sentimento tenhas gostado de te ouvir pela boca de outrém...

seabra disse...

Primeira vez no blog e vim parar até aqui.

Nada mau..


Para quando a proxima leitura na radio?