quinta-feira, janeiro 18, 2007

Vemo-nos no Inferno?

Há muito que é sabido que os nossos especialistas em cultura têm um sentido bastante apurado para a estupidez. Está-lhes no sangue, serem pseudo-qualquer-coisa, nunca atingirem os seus objectivos, daí passarem a vida a desancar na obra dos outros (visto que eles não têm nenhuma...). Por estas razões, já nem me devia chatear se vejo um critico de cinema despejar as maiores barbaridades sobre este ou aquele filme, o realizador x ou o actor y. No entanto, quando leio nas páginas do SOL que aquele jornal só dá tempo de antena ao autor do texto em questão para que este possa "dizer mal", aí a coisa muda de figura!
Foi no Sábado passado. O senhor Francisco Lopes, cujos problemas pessoais desconheço e desprezo, resolveu dize de sua justiça sobre o novo Woody Allen, "Scoop". Para o crítico, "regra geral os filmes deste realizador (...) são sensaborões e pouco relevantes para toda a indústria cinematográfica." Claro! Já os seus filmes, senhor Fernando Lopes, são marcos essenciais na história da sétima arte... As pérolas continuam: "O seu humor, na minha opinião singela, parece ter parado no tempo." Ah! Ah! Ah! Na sua opinião singela... Que amoroso! Agradeço a ressalva, assim de repente estava a ficar com a impressão de que era um pretencioso de merda... Mas há mais. "As piadas, sobre religião, são embutidas às pauladas entre diálogos dispersos." Diálogos dispersos... Hum... Dispersos como as raras vezes em que alguém refere o seu nome para o Óscar de melhor argumento? Ok. Juro que quando cheguei a este ponto já estava a limpar a arma... Mal eu sabia que o melhor estava guardado para o último parágrafo: "Em suma, tudo aponta para que o facto de que o senhor Woody Allen deveria ter-se reformado em vez de regressar com mais filmes para perpetuar o seu fedor nos cinemas. Nunca foi um realizador a sério, mas sim um homenzinho paranóico e com graves problemas de relacionamento a quem um dia tiveram a má ideia de dar tempo de antena." Isto é esboço de uma comédia de revista, não é? Só pode. Porque, se não for, o meu singelo recadinho para a pessoa que dá pelo nome de Francisco Lopes, é este: vá morrer longe. O país dispensa seres como o senhor, que além de invejosos não sabem assumir a cruel realidade - no que toca a fazer coisas, a gritar "acção", você nunca passará de um espectador de terceira categoria. Caso não encontre forma de dar fim à sua dispensável existência, sugiro um passeiozinho pela ponte Vasco da Gama, às sextas-feiras, quando os fanáticos do tunning fazem corridas para ver quem chega aos 300Km/h.

6 comentários:

pinky disse...

há um ditado popular que penso servir que nem uma luva a esse senhor! " o eunuco é o critico da corte!"

Anónimo disse...

Hihihih Blasting!! Não perdoas mesmo. Mas acho que fazes muito bem...o Woody é o Woody!

Quanto ao novo layout dos blogs, sim dos teus blogs, gosto da nova abordagem ao Kate, relativamente ao Life, diria que está mais ou menos...cansa-me a vista!!

Beijos e até breve...nesta encarnação!

apipocamaisdoce disse...

Esse senhor não sabe, de todo, do que fala. Eu acho que o Woody continua a ter lugar no panorama cinematográfico e até tem mostrado alguma versatilidade (como no belíssimo Match Point). Gosto do Woody e acabou-se. E gosto muito! E este senhor que não me irrite!

Anónimo disse...

Na minha opinião eles escrevem esse tipo de coisas para ter direito a tempo de antena e terem alguma atenção (mesmo que negativa), para que as pessoas se lembrem que eles ainda respiram. A verdade é esta... ninguém quer saber do que eles pensam! Leio muitas coisas sobre cinema e muitas criticas, mas na hora de ir ao cinema decido sem pensar nas criticas, e penso que a maior parte das pessoas também. Até porque gostos não se discutem! O que me enerva nesses senhores é acharem que têm o dom da palvra e que fazem um jornalisto factual, quando não o é... trata-se da sua opinião. Tão válida como qualquer outra. Enfim... podiamos ficar horas nisto...
Baci, ella

PS.estou muito invejosa das tuas bolinhas!:)

Suzi disse...

Olá, Miss K!
"Críticos de cinema" são mesmo criaturas que se julgam muuuuito superiores a todas as outras.
Não conheço o senhor em questão, o tal Francisco Lopes", mistura de crítico e cineasta, é isso? - e parece que não perco nada.

Na verdade, só há um crítico de cinema, aqui no Brasil, pelo menos, que é gente como a gente, no meu ponto de vista: um cara chamado Marcos Petrucelli.
.............

Bem, quanto ao mais, vim agradecer sua carinhosa visita e as doces palavras sobre o meu Rio de Janeiro tão querido!
Um beijinho e volte!
(ao blog e ao Rio)

;o)

Rafazz disse...

Rompo com o prometido, para concordar em absoluto contigo!!
se o francisco lopes for o fernando lopes o pseudo cineasta...Não devia falar do que não sabe, quanto mais tentar filmar, sorte ter técnicos competentes que disfarçam a sua pugente mediocridade.

Hasta miss K