segunda-feira, outubro 09, 2006

É só isto.

"Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida."
Bernardo Soares


Há dias em que lamento não ser uma personagem de ficção, ou um ser humano dotado de características extra-terrestres, que me permitissem sair do meu mundo quando bem entendesse. Não para sempre, mas por uns tempos. Este castelo de areia a que chamamos vida prega-nos algumas partidas, e há dias em que nos caem todos os meteoritos em cima. É curioso, porque nem falo deste 9 de Setembro, que agora queima os últimos cartuxos. Apesar da agitação de algumas horas, e do stress provocado por mais uma falha do meu Banco (sim, é verdade, os parasitas sociais também têm dias de elevado nível de concentração nervosa), escrevo isto sentada no conforto do meu sofá, e tento pensar que não há razão nenhuma para estar assim, fugitiva, a querer sair de mim. Será a mudança de tempo? Ou a mudança do meu tempo? O que se andará a passar na minha cabeça, hoje que estou mais velha que ontem, nos sonhos que tive e nos que vivi acordada? Não sei. Para todas as perguntas, não sei. O telefone toca e do outro lado ouve-se a voz do problema, do mau estar que se aproxima. O telefone toca e do outro lado ouve-se o riso de uma notícia boa. Quero ouvir mais notícias boas. Quero que o telefone toque menos, que me deixe em paz, ele que não passa de um objecto que ilusoriamente liga uma pessoa a outra. Sim, i-l-u-s-o-r-i-a-m-e-n-t-e. Porque ligar é tocar, dar, sentir e mexer, e um aparelho não permite nada disso - só parece tornar mais curta a distância entre um eu e um tu.
Há dias em que, mesmo consciente de que não sou uma personagem de ficção, ou que pelo menos desconheço o meu criador, quero que me apaguem do mapa e se esqueçam de mim. Mas que não se esqueçam nunca. É como se tivesse um botãozinho mágico que me permitisse sair daqui para um outro lugar - lugar esse que não sei qual é - sem que o tempo tivesse passado durante a minha ausência. Não, não acredito em máquinas do tempo, só se der de caras com uma. Ainda assim, a vontade de desaparecer, qual Fada Sininho, é tentadora. Como não é um ir embora, nem precisava de ter adeus. Era apenas eu, a flutuar sobre o meu mundo, sem ter de me assumir, sem ter de levantar o dedo à chamada do professor Dia. Por um dia. Um só dia. Se calhar nem gostava, porque ia estar de fora a ver, enquanto as emoções daqueles que fazem a minha circunstância iam mudando, mudando... É sempre confuso largar a nossa casa, e aqueles que a enchem mesmo dormindo fora. É, um dia bastava: eu no ar, em sítio nenhum, e a ver-nos a todos, para depois voltar. Parece que não dá. Essas viagens são só de ida, e o meu bilhete por cá ainda tem uma validade razoável.
Há dias em que penso em muitas coisas para escrever, e escrevo-as. Há dias em que penso em muitas coisas para escrever, e não escrevo nada, deixo tudo na minha cabeça. Escrever leva-me daqui. Por uns momentos, ignoro agradavelmente a minha vida...

5 comentários:

Drifting Along disse...

Pior que dias como esse só aqueles em que amanhã não temos nada para fazer. O primeiro de sabe-se lá quantos.

amarga disse...

Eu ando na fase de deixar tudo na minha cabeça. Escrever, exorciza. :)

MysterOn disse...

Nice ;)

Keep it up!

Kiss Ms.K

nika_liu disse...

Já estive assim, momentos que só queria sair de mim ou então fechar os olhos e sonhar! Estar quietinha no meu canto mas não ser esquecida pelas pessoas de quem eu gosto! Não me dizerem nada, deixarem-me em paz comigo mesma mas nunca me deixarem sozinha! Estive muito tempo assim! E ainda não sei se alguma vez irei deixar de ter esses momentos! Mas pelo menos agora já não se repetem todos os dias! A escrita ajuda muito a exorcizar os pensamentos que deambulam entre opostos! Bejocas

P.S.: Tá decidido temos de ir dar uma passeata pra animar a malta!eheheh!

MysterOn disse...

Nika Liu, if possible take her on a walk on the bright side...

If possible I'll go too...
I may not be a writer, as yourself, but we all feel like that once in a while...and on those moments instead of trying to stay alone and write (which is great!!), the best is to go out for fun, and forget about the rest. Friends or virtual friends we'll always be there (here) to help your way threw the path of life.

Kissez for the missez!