sexta-feira, junho 16, 2006

Life is a masterpice - the final answer?!

Por que é que a vida é uma obra-prima?

Se amanhã acordar, perceber que estou viva e tenho a chance de ter mais um dia pela frente, a vida é uma obra-prima. Se tomar um pequeno-almoço delicioso, enquanto ouço as notícias-sem-som, passo os olhos pelas revistas em atraso e deixo Nithin tratar de mim, bem alto, antes do banho, a vida é uma obra-prima. Se descobrir que, afinal, tinha uma mensagem no telefone, um "era só para dizer que…", ou um "Cat, queria falar contigo, não deu, falamos depois, beijo", a vida é uma obra-prima. Se estiver um dia de sol como terá estado no dia em que o Mundo nasceu, a vida é uma obra-prima. Se estiver calor, e for passar o dia à praia, com amigos, já sei que vou sorrir até ficar escurinho - é por isso, também, que a vida é uma obra-prima. Se por acaso a chuva não me deixar deambular pelas ruas, fico triste, faço as minhas birras privadas, porém são coisas momentâneas, há tanta coisa boa para fazer em casa: ler, dormir, dormitar, trazer alguém para ficar connosco, ver um bom filme, ouvir musica baixinho, e isso, tudo isso, são cada vez mais provas de que a vida é uma obra-prima. Se um dia parar por quatro minutos e pensar nos meus amigos que estão sempre comigo, nos meus amigos que valem a pena, em tão poucos, mas em tão bons, então aí a vida é mesmo uma obra-prima. Se pensar nas pessoas que deixei para trás mas que estão sempre comigo, de quem me lembro sempre com um sorriso, imagino as pessoas que irei conhecer para a frente e, nos dois casos, passado e futuro, nenhum rouba o outro: por isso a vida é uma obra-prima. Se tiver força para esquecer as coisas más e acreditar que as boas irão um dia superá-las, o que há-de ser a vida se não uma obra-prima? Se me lembrar que tive coragem de deixar o que mais gostava de fazer, de bater com a porta e de dizer "basta", eu que quebro ao primeiro embate, então não há dúvida que a vida é uma obra-prima. Se sonhar acordada e me deixar levar, pode ser que um dia me apareça o Mr. Big já com o seu verdadeiro nome (John), e me mostre que eu também posso ser feliz; a minha avó diz que o tempo trata disso, e ela percebe dessas coisas – existe sempre alguém que está à nossa espera, mesmo quando nós estamos à espera desse alguém, e se essa espera custa, ou dói, um dia muda, um dia passa, e aí vamos acabar por dizer, inevitavelmente, que a vida é uma obra-prima. Se não tiver medo de cometer loucuras, e se cometer as loucuras que sempre quis cometer, vou chegar a casa mais purificada do que nunca, e vou achar que a vida é uma obra-prima. Se mais tarde ou mais cedo saltar de pára-quedas, arranjar um emprego, for comer sushi a Tóquio, conhecer a cidade que nunca dorme e voltar logo à cidade maravilhosa, a vida é uma obra-prima. Mas, se nenhuma destas coisas acontecer, a vida continuará a ser uma obra-prima. Há sempre um cinema a que posso ir, um shopping onde posso ver montras, e se não for jornalista hei-de ser outra coisa qualquer; à minha volta continua Lisboa-linda-linda, os meus pais, os meus amigos, as minhas pequenas coisas, a campa de Fernando Pessoa ainda por visitar nos Jerónimos (ele nunca me vai perdoar!), a vista do Adamastor, os fins de noite, os começos de dia, as esperanças, as músicas novas, a descoberta de um livro, de uma pessoa, de um restaurante... É preciso dizer mais para acreditar perdidamente que a vida é uma obra-prima? Eu não pedi a ninguém para nascer e, no entanto, não trocava isto por nada. Este mundo azul, verde, de todas as cores, de todos os cheiros, de todas as gentes, de todos os mundos. Enquanto cá estiver, mesmo nos momentos em que fico aqui nesta sala, triste porque sim, triste porque não, quero viver tudo ao máximo, o bom e o mau, o riso e o choro, e continuo a achar, de coração, que a vida é uma obra-prima. Como dizia Platão, a propósito da teoria dos contrários, a existência de uma coisa obriga à de um seu oposto. Transposto para o século XXI, deve dar qualquer coisa como isto: para se chegar ao amor, tem de se passar pelo desamor; para se atingir a felicidade, tem de se ter deitado lágrimas de infelicidade; para se morrer, tem de se viver. Morrer não interessa - não nos diz respeito, está fora do nosso alcance, portanto não queremos saber disso para nada. Já viver é muito mais do que estar vivo. Estar vivo estamos todos. Viver é fazer por não morrer amanhã; é viver hoje mais do que ontem, não desistir antes de chegar à meta, querer, sonhar e fazer nascer. Viver é acreditar que a vida é uma obra-prima. Porquê? Quanto mais não seja, porque só se vive uma vez…

8 comentários:

criptog disse...

Indeed, "life is a master piece". And even if it rains you can try to "sing in the rain" - "what a glorious feeling" - and maybe you'll be happy again.
:)

criptog disse...

Indeed, "life is a master piece"!
And even if it rains, you can try to "sing in the rain" - "what a glorious feeling" - and maybe "you'll be happy again".
:)

estiveste mal disse...

Gostei muito. Gostei muito da mensagem e do ritmo do texto. Tendemos a esquecer-nos de que é um privilégio estar neste mundo, embora muitos paguem muito caro por esse privilégio. Outros não. Outros como nós. Que vivem suficientemente seguros para viver inseguros. Nitin, sem dúvida. Viagem á essência.
Continua. Eu continuarei por aqui.

nika_liu disse...

Excelente! Gostava de ter essa visão de realmente aproveitar a vida mas não faz parte do meu feitio e a culpa é minha que não me tento animar! E por isso mesmo é sempre bom saber que há pessoas que têm a força pra viver a vida! o teu texto acaba por ser uma inspiração! Bejocas

Buttafly Su disse...

Parabéns, e não há mais nada a dizer... U know what I mean, this one is simply,,,, fantabulastic!
Mesmo. Muito. Boa onda. ;-)

carolinafino disse...

Miuda, escreves tão bem. Gostei muito de ler. Es uma pessoa especial...
beijos grandes,grandes..carol

Su disse...

"Viver é fazer por não morrer amanhã; é viver hoje mais do que ontem, não desistir antes de chegar à meta, querer, sonhar e fazer nascer. Viver é acreditar que a vida é uma obra-prima. Porquê? Quanto mais não seja, porque só se vive uma vez… " - Absolutamente genial! Para mim o melhor texto desde blog até agora, e este o melhor excerto...Há muito tempo que não lia frases tão boas de se ler, tão verdadeiras...daquelas que nos enchem o peito de ansia ou sei lá o quê...a sério, revejo-me em quase todas as linhas deste teu desabafo...é bom saber que existem pessoas que sentem as coisas de uma maneira tão semelhante...neste caso é mesmo um alívio! Obrigado.

Anónimo disse...

Escreves muito bem e transmites uma energia contagiante...o teu blog vicia!!!
Parabéns e continua