quinta-feira, março 30, 2006

Me like it!

Likes and dislikes, bla, bla, bla,... Com estas coisinhas, tão simples, tão minhas, tenho os meus momentos de "ABSOLUT NIRVANA". Por isso ficam os bons: os que, se lhes tivéssemos de chamar alguma coisa, seriam "pequenos orgasmos". A metáfora é exagerada mas funciona. Faltam interesses, amanhã quando ler isto vou pensar "como é que me posso ter esquecido que adoro pescar?!", mas como é agora que estou a escrever, são estes que ficam. Venham eles. A garrafa é só mesmo para ilustrar o conceito, a original está em minha casa. So sorry...



GOSTO: De comer bolachas sem limite (e de ter pacotes extra no armário, para quando o "sem limite" chegar ao fim), de ficar acordada até tarde, de tomar banhos de imersão, de ler revistas, de comprar revistas e nunca as ler, de ler livros e jornais, de ter a televisão ligada (sem som, só para me fazer companhia), de passear sozinha pelo Chiado a ouvir música, e pensar que Lisboa é linda, de comer Cérelac à colherada, de dançar até de manhã, de comida italiana, de sushi, dos filmes do Woody Allen, do Hitchcook e de quase todos os das décadas de 40/50... gosto de ir ao cinema vezes sem conta, de comprar DVD's de jantar com os amigos, de abraçar, ser abraçada, abraçar outra vez (um bom abraço é das melhores coisas do mundo), de beijar pertinho dos olhos, de agarrar na cara de alguém quando dou um beijinho na face, gosto de sentir que fiz alguém feliz, de leite quente, de ovos com salsichas, de fazer amor muitas vezes e ficar na cama para repetir, de chegar da noite e ficar a namorar antes de dormir (sim, mesmo com os copos, quando se gosta, amor ou sexo, é sempre bom)... gosto que chamem o meu nome a rir, que partilhem comigo alegrias e risadas, tristezas e horas de choradeira, porque a amizade é isso, é ser sincero e fiel, e verdadeiro... gosto de descobrir lugares novos, músicas novas, imagens novas, ideias novas, conceitos diferentes, gosto que me corrijam se estou errada, gosto de perguntar quando tenho dúvidas, de ficar sozinha em casa, de partilhar um cigarro amigo, de viajar, de tirar fotografias, de ver fotografias, de discutir "filosofia" e ideologias políticas, de conversar até perder a voz, de escrever até não poder mais, de chegar a casa cheia de frio e sentir que a minha cama está no sítio de sempre, à minha espera, de olhar para as pessoas e imaginar tudo sobre elas (nome, profissão, BI, onde vivem, para onde vão, por que se vestem assim, se fazem o mesmo qu eu...), de ir a concertos e jogos de futebol, sítios onde centenas de pessoas que nunca se viram na vida estão juntas numa simbiose quase perfeita, de ouvir o hino, e de me arrepiar por causa disso... gosto de pôr cola nos dedos, de comer torradas com maionese, de ameaçar que vou espetar um chapéu-de-chuva num gato "só para ver como é", de comprar malas (muitas), de descobrir que "aquela" banda que eu andava a ouvir há séculos se tornou um sucesso, de comer bolas de berlim com creme, pastéis de nata e bolo de bolacha, de descobrir um bar porreiríssimo que mais ninguém conheça e tê-lo só para mim, como um segredo bem guardado... gosto de escrever palavras no ar, de descobrir frases, de fazer abdominais, de ficar bronzeada, de jantar tarde nas noites quentes de verão, de coleccionar postais que encontro por aí, de fazer surpresas, de ligar a alguém a meio da noite e dizer "bora fazer qualquer coisa?" e essa pessoa aceitar, de dormir com a minha boneca de trapos, de andar de gorro no inverno, da cumplicidade de um olhar, de comer pão sem nada, de ir ao teatro, do Miguel Borges, sozinho em palco, a fazer "O Primeiro Amor", do Beckett, e pensar que há momentos em que a perfeição é possível... gosto de sentir a areia nos pés, da cidade maravilhosa, meu Rio de Janeiro, de passear na praia, do primeiro banho do ano, do fim-de-tarde às nove e tal, do Guincho visto da Peninha, do sossego desassossegado da Costa Alentejana, de Vale de Figueiras, do Pizza Pazza, de conduzir sem rumo, do joie de vivre da minha mãe, da sabedoria humilde da minha avó, da inteligência e do olhar calmo do meu pai. Gosto de dormir, mas gosto mais de acordar. Gosto de estar viva, mas gosto mais de viver.

3 comentários:

Aisling disse...

Brutal... Muito bem escrito! Acompanhei-te em quase todos os gostos! Vou voltar mais vezes! ;)

Anónimo disse...

comer torradas com maioinese?????

de um olhar cúmplice das noites de bairro e de lux até ás tantas da manhã ;) ...see ya ** disse...

"Life is a Masterpiece" but believe me you really are somethin`else above that!!!Keep on going...