segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Do tempo

Nunca podemos fugir do tempo. Para trás, porque ele já passou, e não se repete mais. Para a frente, porque o desconhecemos, e não o podemos prever. Por agora, porque enquanto escrevemos isto ele foi embora, e deixou de ser nosso - como nunca foi. Mas ele, ele sim pode andar atrás de nós. Uma vida toda, se preciso for. Há coisas que nem ele apaga e que só ele relembra. E que só ele insiste em trazer de volta. O tempo é capaz do melhor e do pior. E às vezes decide deixar-nos o passado à beira da cama, como se tivéssemos de tropeçar nele todas as manhãs. 

11 comentários:

Liana Andra Marques disse...

o tempo é mm lixado...

P. disse...

não passa de um aborrecido...

Miúda-Mulher disse...

Bom post!

KILGORE disse...

É aproveitar, portanto...

Susana disse...

Eu não diria melhor. Dou com cada tombo ainda cheia de ramelas que é obra!
Tramado esse gajo!

Madame Butterfly disse...

Texto fabuloso. Diz tudo o que eu gostaria de ter dito.

LORENZO MONSANTO disse...

O tempo ou tu?

Adriana disse...

:) Muito certo, gostei mesmo!
Por isso que não estejam sempre a dizer que o tempo cura todo... É dos clichés mais mentirosos, talvez até dos mais dolorosos.

*

Ninhas disse...

Gosto tanto de te ler! às x pões em palavras o que penso e não me sai!!!

Joana disse...

É por isto que eu gosto de te ler.

Artur disse...

Já dizia o Tom Waits no Rumble Fish: "Time is a funny thing..." http://www.youtube.com/watch?v=0mIp42H3G6U