quinta-feira, janeiro 01, 2009

post #1

O que é que me falta para ser a pessoa mais feliz do mundo? O loft em Nova Iorque, a cobertura no Rio, o duplex em Paris (com vista para o Sena), o estúdio em Londres, o T2 em Shanghai, o ilhéu nas Maldivas, o resort privado no Vietname e o barco estacionado em St. Tropez. O Fiat 500 para a cidade, o jeep Mercedes para a estrada toda, a Vespa para os caprichos e novas rodas para os patins em linha. Parecem-me demasiado presunçosos os jactos privados, mas aceito. O andar com terraço interior e águas furtadas, no Chiado ou no Príncipe Real, o cartão 100% off na Gucci, Dolce, Prada, Versage, Armani, Manolo, Louboutin, H&M, e Top Shop, o free card para o Sushi Lounge no Estado Líquido e no Aya, o cartão de ouro da Fnac (exclusivo para mim), treze sacos de compras da Victoria's Secret e da Agent Provocateur, a taluda no Euro Milhões, o Sporting campeão e dono e senhor da Champions. O emprego na Vogue americana, ou na espanhola, ou na brasileira, ou na portuguesa, entregas diárias de croissants da Bénard, pão de Santarém via FedEx, pastéis de Belém para o pequeno-almoço às segundas, quartas e sextas, workshop de escrita com Philip Roth, entrevista de vida a Lobo Antunes, jantar na Bica com Saramago (partindo do principio que ele entrava na Bica), curta-metragem sobre a vida de Woody Allen, reportagem "em casa de..." com Barack Obama e um programa semanal de cinema. A companhia da mãe e do pai ao almoço, do homem da minha vida todos os dias, dos meus amigos over and over, da família sempre que possível, garantias de saúde ilimitada, para mim e para os meus. A conta bancária do Tio Patinhas e a DisneyLand como parque de diversões. Uma varinha mágica, não fosse tudo acabar. E a promessa da imortalidade enquanto quisesse ser eternamente jovem e doida, porque o mundo tem muito para ver. Não tenho nada disto, é sabido, mas tenho outras coisas, e assim começo 2009 a sonhar um bocadinho, porque por enquanto sonhar ainda não paga imposto. 2008 foi amigo, às vezes muito, outras fiel inimigo, e trouxe, entre outras surpresas, o amor - pouco mais se pode pedir. É esperar que a vida, a boa, se mantenha, e a má se evite sempre que possível. Daqui a pouco é Carnaval e já ninguém se lembra das resoluções de ano novo, por isso não faço balanços e dou largas à imaginação: que esta viagem seja maravilhosa enquanto dure; a perfeição não tem graça nenhuma. Sejamos, por isso, não as pessoas mais felizes do mundo, mas pessoas felizes, no meio deste mundo. 

12 comentários:

Ele disse...

Que texto tão bem escrito... Enorme!

As maiores felicidades.
:-)

Madame Butterfly disse...

Subscrevo integralmente as tuas eloquentes alegaçoes iniciais:) Happy 2009!

criptog disse...

hum ... e isso seria tudo ao mesmo tempo ou ao longo de uma vida?

Osga disse...

Achei graça a "entregas diárias de croissants da Bénard" :P

btw, jantar na Bica com Saramago não consegues!

nika_liu disse...

Os sonhos são bons por isso...independente do que realizamos, podemos sempre sonhar com as coisas q gostariamos e podemos sempre tentar realizar pelo menos algumas delas...have a good life.

MysterOn disse...

Happy New Year!

O pão de Santarém via FedEx...where have I seen (done) that!

Beijo!

Ana Raquel disse...

E o sonho comanda a vida!
Estive na Topshop em London e lembrei-me de ti! (Do que li no outro blog).

**

sessaoexperimental disse...

posso gamar dois ou três desses desejos? ;)

M disse...

Faltou uma coisa: Um pc novo no trabalho, daqueles que nunca empancam. eheheheh bjoka... Bom Ano!

Miss Pu disse...

Thats it girl ;)

Ninhas disse...

E se não formos as mais Felizes do Mundo ... Que possamos ser pelo menos o mais Felizes que conseguirmos ter!!!

*Ah! By The Way... As always, brilhante post!*

Ninhas disse...

LOOOOL A Miss M a pedir demais!! Quer um pc novo no trabalho!!! HaHaHa! Tem ela sorte em não ficar com o ecrã cinzento como o da Sónia hj!!! HaHaHa