quinta-feira, agosto 07, 2008

"Fazemos o alfabeto?"

"O Escanfandro e a Borboleta" só chegou agora porque, por ignorância minha, o nome nunca me chamou a atenção. Claro que se tivesse pesquisado um bocadinho sobre a sua razão de ser, teria ficado imediatamente interessada, mas preferi andar estes meses todos a achar que não estava a perder nada de especial. Erro meu. O realizador Julian Schnabel conta a história verídica do editor da Elle francesa, Jean-Dominique Bauby - que depois de um acidente cardiovascular fica totalmente paralisado (com excepção do olho esquerdo) - de forma invulgar, adoptando a perspectiva do homem que era um poço de vida e que, de um momento para o outro, se vê confinado à boa-vontade e ajuda dos outros para sobreviver; as cenas são quase sempre vistas sobre a perspectiva de Jean-Doc, incapaz de se mover, insensível ao abraço dos filhos, mas o mesmo homem de sempre - a mesma cabeça, o mesmo coração. Longe de melodramas e num acto de coragem irrepreensível, vemos os dois lados da moeda, como reagem as duas frentes nesta batalha perdida contra a cadeira de rodas - e uma grande salva de palma para Emmanuelle Seigner, que é a mãe dos filhos que mais poderia ser. O Life aconselha.  

8 comentários:

Lua disse...

Fiquei curiosa!;) *

Miss Pu disse...

Onde viste?
beijooo

Buttafly disse...

Ando há que tempos para ver esse filme... Cheira-me que deve ser muuuito bom!

;)

Miss K. disse...

vi na minha sala, Pu, peguei do videoclube! vais ao sudoeste? ao boom? quantos dias?

Andr disse...

Já quase só me lembro de ter gostado e de ter tido o título como um extra.
Senti-me mais próximo de "O segredo de um Cuscuz". Este acho que perdurará, que também aconselho.

Patrícia disse...

também já o vi. gostei. muito.

pu pu pi tu disse...

adorei.
fiquei com vontade de ler o livro.
na altura em que vi o filme, também lhe dediquei um post... suponho que aconteça a todos :)

wednesday disse...

Obrigada por me tirares da ignorância... Fica sem dúvida a indicação :)