sábado, abril 05, 2008

As (verdadeiras) putas

Eu acho que existe um grande equívoco quanto à definição de putas. Normalmente diz-se que é puta qualquer mulher que ande na rua a tentar vender o seu corpo em troca de favores sexuais ou, então, as normalmente conhecidas por acompanhantes, meninas lindas de morrer que vão com senhores doutores a uns jantares muito-mas-muito-importantes, fazem-lhe um bico, e voltam para casa (algumas, com sorte, conseguem ficar com o vestido), como se tivessem vivido o seu momento Cinderela. Ora eu acho que é exactamente o oposto. Chamem a estas mulheres o que quiserem, mas acima de tudo respeitem-nas, pois não são mais que elas - a verdade é que as grandes cabras estão entre nós. Se as prostitutas são putas por porem o corpo à disposição deste e daquele em troca de dinheiro, as vacas que não andam pelo Intendente e afins são putas por muitas outras razões. A maior diferença, é que as primeiras dão a cara, e as segundas não; as primeiras assumem-se, e as segundas não; as primeiras dormem com vários homens para pagar as contas, e as segundas fazem-no porque o namorado está gordo, porque não foram de férias para Cancun, ou para provar à amiga que são melhores que ela; as primeiras chamam a atenção porque precisam que olhem para elas, as segundas querem chamar a atenção porque se acham o centro do mundo; as primeiras ajudam as amigas em apuros, as segundas espetam-lhe uma faca nas costas; as primeiras juram vingança do cliente que bateu à colega, as segundas procuram o namorado-traidor, porque é giro, rico e filho de boas famílias; as primeiras guardam um segredo, as segundas espalham-no; as primeiras dão conselhos, as segundas dão ratoeiras.
Este exemplo não serve para todo o universo de mulheres, obviamente. É apenas uma amostra. Que, com pena minha, vai crescendo ano após ano. O que não faltam para aí são putas. Eu conheço bastantes. Algumas já me foderam bem mesmo sem eu ter pago nada...  

13 comentários:

borbolettta disse...

concordo em ABSOLUTO

nika_liu disse...

Genial! Felizmente para mim, ainda não tive o desprazer de me encontrar com as segundas (e espero continuar nessa abençoada ignorância), infelizmente acho que existem em maior número do que supunha (o que diminui as minhas hipóteses de passar por elas sem qualquer contacto)! :P

Joana disse...

Grande Ana!!! concordo a 100%.
O que não faltam ai são putas e algumas armadas em finas, quando são do mais rasco que há. Mete pena...
Beijinhos Joana

margarida disse...

Todas temos as nossas putazinhas. Infelizmente.

wednesday disse...

Concordo em tudo e especialmente quando disses que é uma tendência crescente. Tens toda a razão. Também conheço algumas, cada uma com a sua personalidade e especialidade... Triste mesmo.

Orlando Nascimento disse...

Ufa! que desabafo carregado de raiva! Quem estiver por perto que se cuide...
Miminho para ti :) Bjo

Ric Jo disse...

Nicely said.

Dry-Martini disse...

Lamento não poder participar do debate. Apenas percebo de vinho verde :)

XinXin

Caltuga disse...

Só uma mulher para escrever este tipo de comentário! Lol!

H4rdDrunk3r disse...

Chiça! Lembra-me de nunca te irritar!

Ines disse...

aninha apesar de concordar com o que disseste nao concordo com a forma como o fizeste..acho que falar assim é descer ao nivel delas! beijinho cheio de saudades


ps:continua a brilhar

Diogo disse...

Por sorte, e por indicação de um irmão meu, li o que sentes sobre a maioria das mulheres que conheces. Não sei se são "putas". Provavelmente são simplesmente infelizes. Tenho a certeza que não te "foderam" porque quando agiste não foi para aparentar ser, ou para tentar agradar, ou para tentar corresponder, mas apenas porque és assim. Que bom. Podem ser poucos ou poucas, mas como vês, ainda existem!
Não te conheço, mas gostei do caminho.
(fiz questão que o meu mano mais baixo e mais velho tomasse conhecimento da escritora e pessoa que és... - Diogo)
MPL

Su disse...

Miss, queria pedir-te autorização para transcrever este texto no meu blog, com as respectivas identificações de autoria! Obrigada e Bjs