terça-feira, fevereiro 05, 2008

Profissão: depressiva com tendência para depressão

Segundo um estudo norte-americano divulgado hoje na SIC-Notícias, o Jornalismo ocupa o 5º lugar na escala das profissões com maior tendência para provocarem depressão. Não me espanta nada. Se a maioria de nós, jornalistas*, nunca chegamos realmente a sê-lo,  e perdemos anos da nossa vida a perguntar aos santinhos porque é que escolhemos este caminho inglório e tenebroso, como é que a profissãozinha não há-de estar no top five das que mais leva a tensão, distúrbios psicológicos e mentais, exaustão, suicídio...?

* licenciados, desempregados, mas ainda assim sonhadores de olhos abertos...     

14 comentários:

Sofia disse...

E antes dessas, quais estavam?

[palpita-me que os professores devem andar por aí tb...]

PDuarte disse...

Caramba, quando olho para:
Jos� Rodrigo dos Santos, Jos� Alberto de Carvalho, Clara de Sousa, M�rio Crespo, Judite de Sousa, Fatma Campos Ferreira, Rodrigo Guedes de Carvalho e o jornalista dos jornalistas Dr. Pinto Balsem�o eu vejo tudo menos depress�o.
Um beijo.

Joana disse...

Também vi essa notícia hoje à hora de almoço... apre, do que eu me safei!
Se bem que a alternativa que escolhi, apesar de não estar na lista, também tem os seus diazinhos...

Vanita disse...

Também não me surpreendeu....

Miss K. disse...

sofia: é um facto, os professores estavam no top ten. se não estou em erro, vinham logo a seguir...

pduarte: os nomes que referes são algumas das poucas excepções à regra. mas só a nível monetário. porque de resto, o stress, a exaustão, está tudo lá, acredita.

PDuarte disse...

Então e eu???
Não me exausto?
Não me stresso?
Claro.
Um beijp miss k.

Caltuga disse...

Uma "marioneta" uma vez disse-me, quando em tempos mostrei interesse em seguir o ramo da comunicação social, que estaria a cometer um erro e que seria preferível especializar-me numa outra área, podendo sempre, posteriormente, fazer "jornalismo" se assim quisesse. Palavras sábias...
No entanto, não deixa de fazer alguma confusão ver tantos jornalistas desempregados quando na verdade existe tão pouco jornalismo neste país. Refiro-me naturalmente a jornalismo de investigação, e não ao bando de opinadores que enchem as páginas de jornais e os canais de televisão. Jornalismo de fundo, daquele capaz de provocar sismos que se propõem a abanar as fundações da plutocracia que governa este país. Esse jornalismo faz muita falta.

H4rdDrunk3r disse...

também dei asas ao meu idealismo, fui-me por a tirar ciência política e relações internacionais e olha... é o que se vê! estou como tu e tantos outros.

Raio de país o nosso!

Maria do Consultório disse...

Cá para mim, já não sobram muitas profissões que não sofram disso, pelo menos em Portugal...

100 Sentidos disse...

Olha... Nem comento!

Cristina disse...

Porque será que não me espanto?? Depois de horas infernais a discutir as teorias de agendamento, gatekeepers e afins... uma depressão é o item seguinte na lista!!

Quinto lugar, dizes tu?! Vá lá, vá lá... ainda assim não é mau de todo. Pelo menos não chegámos ao pódio.

Sadeek disse...

Miss...eu nem te conto sobre a minha então!!! Acho que até aí se nota o quão desprezíveis somos, que somos esquecidos por quem faz estes estudos... ;)

Ninguém me liga.......ninguém gosta de mim....AHAHHAH


BEIJO

wednesday disse...

Eu vi o top 10 do estudo e aquilo que posso concluir que as profissões mais comuns estão todas lá, ou seja, está tudo com tendências depressivas, fora o facto de vivermos em Portugal.

Bad Girl disse...

Apre! Que sortinha, ah?
B3ijos