sexta-feira, fevereiro 15, 2008

Impossível

Amarei sempre o impossível. Farei sempre com os dias tenham danças de sol e lua. Procurarei sempre entender o tempo perdido. Derrubarei sempre muros de insatisfação. Juntarei sempre dois sorrisos numa mesa à beira-mar. Sentirei sempre num abraço a maior demonstração de amor. Chorarei sempre por barcos que dêem à costa sem marinheiros. Rezarei sempre os cânticos que a minha fé me ensinou. Festejarei sempre as noites de luz que a trovoada nos concede. E amarei sempre o impossível, porque tudo o resto está longe demais.

7 comentários:

Miss Pu disse...

Sem tirar nem pôr, eu sou assim, busca incessante pelo impossível. VÊ lá este poema da Florbela Espanca e vê lá se não te identifcas:

“O meu mundo não é como o dos
outros, quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que nem eu mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade... sei lá de quê!” Florbela Espanca

Ah! Sou a Pureza... amiga do Tiago Lucena... remember?
Dá um salto ao meu blog e opina! fashion stuff apenas: fashionistaaddcit.blogspot.com

beijinhos

Dry-Martini disse...

Faz muito bem. Impossible is nothing. Subscrevo!

XinXin

wednesday disse...

Nada está longe quando se sonha e se acredita ao mesmo tempo.

Maria disse...

:)) *

lex disse...

Engraçado...

MiSs Detective disse...

é mesmo isso!

vds disse...

O abraço É a maior demonstração de amor...