sexta-feira, dezembro 28, 2007

02:38

Temo ser verdadeira, aquela ideia que diz que sempre que o mundo avança, algo nele tem de andar para trás. Passa-se o mesmo nas nossas vidas: sempre que damos um passo em frente, tivemos inevitavelmente que dar dois ou três atrás. Escolher outra opção. Mudar de caminho. Apagar um desejo. Condensar uma vontade. Sempre que julgamos avançar para mais deixamos atrás de nós um sinal de menos. Menos nós. Menos destino. Menos opções. Menos vida. Não sei como se pára este conceito, sei, o meu medo é esse, é que não se pára. Levantar um dia é perder o que ficou para trás, escrever agora é lembrar sobre o que foi antes, e nunca, durante este tempo todo, temos nada. Tudo o que achamos ser nosso neste presente tão finito há-de desaparecer a certa altura: as nossas certezas, as nossas crenças, as nossas verdades, vai-nos ser tudo roubado e seremos nós os ladrões da nossa desgraça. E cada passo, cada minuto, cada instante, não são mais do que formas rápidas e cruas de chegarmos à nossa tão grande, e inesperada, solidão.

Ainda não sei tudo o que vivi da vida. Mas tenho medo de ter alguma noção do que já perdi nela.

19 comentários:

Ele disse...

Clarividência.
Cresces a olhos vistos, digo eu.

Cidadão do Mundo disse...

“Durante toda a tua existência és guiado pela sábia criatura que habita no teu íntimo, o hábil ser espiritual que és tu próprio.
Não te afastes de possíveis futuros antes de adquirires a certeza de que com eles nada podes aprender.
És sempre livre de mudar de ideias e de escolher um futuro diferente ou um outro passado.”

Richard Bach

kitty disse...

"If you want to take the ride, you'll have to buy the ticket". Há sempre um preço a pagar por tudo. E o de seguir em frente é o de deixar sempre alguma coisa ou alguém para trás! Acho que ás vezes rendomo-nos a isso muito facilmente. Deixamos que as coisas nos faltem, e não lutamos para que elas se mantenham, ou que fique sempre um rasto, para que possamos voltar quando quisermos-

pu pu pi tu disse...

É incrivel a facilidade com que passas para palavras as verdades da vida. Parece-me que é mesmo assim...para conseguirmos um mais, temos que ter tido antes alguns menos e depois do mais vêm mais uns menos...

Bela Sonhadora disse...

Será que para ganharmos teremos que invariavelmente perder algo? Será que não conseguiremos atingir os nossos objectivos, concretizar os nossos sonhos sem deixar alguma coisa para trás? será que a vida é assim tão madastra ao ponto de nunca nos deixar atingir a felicidade em absoluto nem que por breves instantes???????

Ou será que ela é só assim para aqueles que tal como eu pensam demasiado???

Su disse...

"Ser, é sempre ser mais", disse alguém um dia, numa aula de filosofia do 12º ano...Quando acordas de manhã, perdes o dia de ontem, mas ganhas o de hoje e o de amanhã, e tudo o que vives nos momentos do agora, são sempre ganhos que acrescentas à tua caminhada e nunca perdas. Vira a lupa da vida ao contrário e tenta ver nessa perspectiva. Em último caso, resta-me dizer-te que a única coisa de verdadeiro e de real que terás para sempre, é a tua Palavra, escrita, dita, cantada. Essa sim, nunca se perderá. Bjs e Feliz Ano Novo!

nika_liu disse...

Quando optamos por um caminho, ficamos sempre com a consciência de ter deixado outro para trás que não sabemos se teria sido um caminho melhor ou mais fácil ou chegar aqo final da viagem e perceber que talvez aquela não tenha sido a melhor escolha! Mas permanecer na dúvida dos "ses" pode ser ainda pior e apenas resta continuar a caminhar, porque parados não vivemos e aí sim é que vamos perder!

Maria do Consultório disse...

Quando leio os teus textos, fico a pensar que sou uma grande palerma. Isto é um elogio.
Beijo

Daniela disse...

não somos nada mais do que os ladrões do nosso tempo, da nossa própria felicidade, do nosso eu...

wednesday disse...

Não te preocupes, esse é o medo de todos. Portanto nesse medo nunca estarás só.

Hyoma disse...

Não perdeste nada...Nunca se perde...E se essa ilusão chegar, resgata o que ela manifestar...É sempre tempo.

bruno disse...

só nos podemos arrepender do que não fizémos, mas, diga-se de passagem, muitas delas podem ser feitas enquanto nos lamentamos por ter deixado passar o tempo certo...
para muitas coisas o tempo não passou...

talvez encontres um dia, na imagem que te devolve o espelho, aquilo que realemente te falta...

Anónimo disse...

http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendID=3670807

ouve isso.

criptog disse...

Tentarias desenganar-te disto, se descobrisses haver forma de pôr esse conceito a andar, de te tornares dadora dessa graça?

cacau disse...

tens noção do que perdeste... e do que ganhaste? boas entradas no novo ano!

Soph!a ღ disse...

fantástico! parabéns!! gostei de te ler...

I&U disse...

Iremos irremediavelmente continuar a perder bocados de tempo, para mais tarde darmos valor ao que ganhamos.

redordead disse...

mais solitária é a sensação de estar entre as certezas do passado e as incertezas deste novo passo em frente que não sabemos para onde nos leva nem sabemos onde queremos que nos leve.

MiSs Detective disse...

seremos nós os ladrões da nossa desgraça. NEM MAIS! GRANDE POST