domingo, julho 08, 2007

A "minha" MARAVILHA

[Rio, Maio 2005]
O Cristo Redentor foi eleito uma das Sete (novas) Maravilhas do Mundo. Descansem, não vou falar sobre o espectáculo na Luz nem discutir os vencedores, o que eu quero aqui é falar deste vencedor. Já tentei, neste epaço, explicar por várias vezes o meu amor ao Brasil, a minha paixão por esse país de gente que samba de pé descalço e é feliz, mas por mais que escreva, nem eu vou saber porque é que ontem, quando anunciaram a vitória, me escorreram umas gotinhas de água pela cara abaixo. Emocionei-me tanto, bati palmas uns bons três minutos (palmas para o vazio, aqui não mora ninguém além de mim), e senti um orgulho tão grande em ver o meu Cristo admirado pelo mundo inteiro que só me apetecia gritar. Ok, dou-vos o desconto de pensarem que sou pateta, que estavam ali coisas mais bonitas e/ou importantes, que o meu mal era sono, mas não. Como diz a France, uma amiga brasileira que trabalha cá, eu sou "a portuguesinha mais brasileira" que ela já conheceu. Será? Não sei, a verdade é que o Rio ficou-me no sangue desde a primeira visita, aquela em que aterrei e me senti em casa, como nunca antes, como nunca nunca, aquela em que visitei o Cristo pela primeira vez e baixei as armas - sim, as pessoas podem mostrar as suas emoções em público. Arrepiei-me como se estivesse um frio quente, perdi os sentidos por não saber para onde olhar, vi-me com 10 anos e o (possível) saber dos 23, percebi que estava num sítio sem designação possível, sem fim possível, deixei que as lágrimas (aí foram mesmo lágrimas) aparecessem, tirei fotografias para sempre recordar, tive dois companheiros - perfeitos - que a história nunca vai poder mudar, e a cidade maravilhosa aos nossos pés, ou nós aos pés dela, verde, cheia de morros e lagos e praias, deixou de ser cidade e passou a ser vício, coração e saudade.

11 comentários:

Caltuga disse...

Pena não teres ido ao Friends of Live Earth, até foi giro...

[ we ] disse...

grande foto. está lá o texto todo :)

wednesday disse...

POis eu ainda não estou muito convencida, mas espero ter a minha própria opinião daqui por 1 mês;)
Para já continuo a dizer que preferia que fosse o Angkor, tenho um desejo enorme de lá ir.

miguel disse...

acho que devias comentar sobre esse vencedor, completamente abaixo de todos os outros... o sitio pode ser dislumbrante mas não é uma das 7 maravilhas feitas pelo homem... já agora porque não o nosso ali na margem sul do tejo??

Miss K. disse...

miguel:
não conheço o teu blog porque o teu perfil não está disponível, mas já vi que és homem de muitas opiniões.

sinceramente, relê o que escreveste e pensa para ti próprio:
a) alguma daquelas frases faz sentido entre si? ou, dito de outro modo, estavas acordado quando deste a conhecer a tua opinião?
b) "achas" que eu devia comentar sobre esse vencedor? bem, esta só pode ser mesmo uma piada, porque sendo o meu blog, posso comentar sobre o que me apetecer, nomeadamente a fuga dos cágados para o deserto;
c)"dislumbrante" não existe, mas deslumbrante anda lá perto;
d) "o nosso ali na margem sul" não se chama Cristo Redentor. e nem te vou tentar explicar a diferença entre um e outro;
e) já agora, leste o título do post? chama-se A "minha" MARAVILHA. curioso, não é?

tenho todo o gosto em receber comentários de pessoas novas. mas detesto que me tentem fazer de parva.

Miss K.

Joana disse...

Eu já estive no Rio, no Cristo Redentor.
Aliás estava para fazer um post sobre ele ter sido eleito uma das 7 maravilhas do mundo.
Só quem tem a sorte de conhecer o Rio é que pode entender melhor o que é este monumento. Eu "vivi" duas semanas no Rio e entendi a dimensão cultural e sociológia que este monumento tem.
Eu emocionei-me quando cheguei ao cimo e vi aquela cidade e como aquelas pessoas são abençoadas. São abençoadas porque são positivos, são espontânos, são gratos, são felizes, são lutadores e trabalhadores e isto numa sociedade desigual, violenta, pobre, injusta.
O Rio mudou-me. Nunca mais fui a mesma, nunca mais entendi a tristeza da mesma maneira, queixo-me menos da vida, gosto mais de mim, dou mais valor ao que tenho.
E quando votei também me disseram "o que é que o Cristo Redentor tem comparado com Petra..." Um monumento não é um conjunto de pedras, harmoniozamente dispostas, obedecendo a um estilo, com milhares de anos. Para mim um monumento é isto, o meio que o envolve, isto é, o seu significado antropológico e sociológico e a minha interpretação com toda a sua carga subjectiva.

Como diria Tom Jobim "o Cristo Redentor, que lindo!" e é mesmo!

MT disse...

desculpa, não queria que ficasses chateada...e longe de mim tentar fazer-te passar por parva.
só quis mostrar o meu desagrado para o facto da "tua maravilha" passar a ser uma maravilha de todos nós, não acho que tenha razão de ser... mas isso são outras conversas. não o devia ter feito neste post onde demonstras o teu fascinio por esta. Gosto da maneira como escreves e por isso visito o teu blog... e raramente dou opiniões!!

Miss K. disse...

miguel, ou MT:

serás sempre bem-vindo, principalmente se deres a tua opinião - esteja ela de acordo com a minha ou não. agora "mandares postas de pescada para o ar", como fizeste na tua primeira incursão, isso é que já não me parece muito certo...

Fica bem,
Miss K.

wednesday disse...

Já agora, uma vez que vou ao Rio daqui a 1 mês, até era interessante dares-me umas dicas... Vou ter companhia alguns dias, mas outros vou andar comigo mesma. ;)

Rafazz disse...

Nesta foto vejo não uma, mas duas maravilhas do mundo.

Take it easy Miss K.

Bjs

Rafaela disse...

Partilho da tua opinião Miss K. Vivi 3 meses no Rio em 2005-06. Estagiei lá, dava aulas de inglês aos meninos das favelas e a ex-professores de universidade. Vivia na zona mais pobre e deteriorada, onde as estradas tinham muitos buracos e eram sujas, onde muita gente andava descalça e onde os homens lançam piropos que é impossível que não nos façam rir. Adoro o Rio e digo sempre: foi o período da minha vida em que fui mais feliz. Sou carioca de coração e ponto final. Por isso compreendo tão bem o teu post.:=)