segunda-feira, junho 25, 2007

Elefante na loja de porcelana

Depois da injecção de boa noite, há tempo para as dores, o desconhecido, o medo, o já esquecido, a ansiedade... Há tempo sem fim - muito tempo sem fim. No meio da nova terra de ninguém, apareço cansada, sem forças nenhumas. Apetecia-me escrever as coisas em que tenho andado a pensar, mas não sou capaz: ou ainda não fazem sentido, ou é muito cedo para as contar, ou secalhar nunca pensei nelas. Não sei. As minhas mãos, tal como o meu corpo, agora, estão agrafadas frente a um teclado.

5 comentários:

Joana disse...

Tudo vai voltar ao lugar... e a inspiração também!
As melhoras e uma recuperação rápida!
beijinhos

Dino disse...

mas de pantufas
.Já não sei quem "escreveu na pedra" isto mais ou menos: "Se tivesse que escolher a dor ou nada, escolheria a dor".
.Numas últimas reflexões, reparei que existem certas atitudes que me fazem muito feliz e me comovem muito. Um bem-haja a esses artistas.

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

todos temos momentos desse "muito tempo sem fim" que queremos que acabe. e acabará. :)***

Mr.T disse...

Que sejas benvinda! As minhas sinceras melhoras. Espero que fique tudo bem.

Mais uma vez as palavras certas na altura certa, as tuas claro. Eu nunca sei o que dizer.

Caltuga disse...

O que está mal não é o elefante, mas sim a loja de porcelana...