terça-feira, maio 29, 2007

[Quando...]

Quando as ruas deixarem de ter nomes. Quando as estradas não tiverem fim. Quando os dias amanhecerem com chuva e isso for tão bom como os que trazem grandes raios de sol. Quando as noites forem passagens secretas para tempos infinitos. Quando a dor for menor do que a lembrança de um abraço. Quando o abraço for maior do que a dor, e a vencer pela intensidade com que é dado. Quando a saudade trouxer sono e paz e calma e vida. Quando o tempo que passa demorar mais que o tempo que está a passar. Quando há uns olhos que brilham no escuro e na luz, de repente, na surpresa do impossível. Quando se diz tanta coisa calado, e ainda se diria mais, mas não há tempo para não dizer. Quando os pés se agarram ao chão e não se movem dali para lugar nenhum, porque ali é o seu lugar. Quando a mão que toca a tua mão já é a tua mão.

4 comentários:

lifextension disse...

ou então: quando?

nika_liu disse...

Será que essa altura chega? Será que esse quando...quando chegar se irá manter?
So many questions and so little answers!

Joana disse...

... tu escreves coisas... é isso.
vou ler outra vez.

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

***