terça-feira, maio 29, 2007

Deixem-me só escrever isto

Podes até nem fugir de nada. Ir à procura de coisa nenhuma. Só sair do teu sítio de todos os dias, de onde não consegues ver mais além. Talvez a tua partida seja para conheceres mais mundo, e para nesse novo mundo reencontrares velhos (e grandes) amigos. Amigos de quem já sentes falta. Aí, atravessam-se oceanos, descobrem-se paisagens, sentem-se novos aromas, experimentam-se novas sabores, vibra-se com uma vida que corre em duas rodas a mil quilómetros por hora, abre-se a boca de espanto vezes sem conta porque o céu está tão mais acima do que o normal, perdem-se os olhos nas luzes de todas as cores que dão vida à noite que nunca mete medo, conhecem-se pessoas, recantos, lugares, vive-se e sente-se intensamente – porque estás a viver a vida de , de quem está lá, e tudo é sentido como se três semanas fossem três meses. Fazes amigos? Fazes. Trazes lembranças? Trazes. E fotos? Também. E o que sentes mais, agora que voltaste? Saudades.
Saudades disso tudo...

4 comentários:

Suzi disse...

abrir a boca de espanto e perder os olhos nas luzes de todas as cores que dão vida à noite que nunca mete medo...

ai, que isso é viver plenamente!

Joana disse...

Saudades... e ainda bem que o escreveste!... fica-se com saudades do futuro.

criptog disse...

A aventura da Descoberta! Don't stop.
:)

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

lindo...!*