segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Songs in a-minor

Passam-me mil músicas pela cabeça. Sempre que acontece alguma coisa marcante na minha vida, é a música que toma conta de mim. Invariavelmente, deixo-me levar pelos sons que me fazem lembrar o passado e sonhar o futuro, e acabo por chorar. Eu choro horrores. Com tudo o que já chorei, tinha lágrimas para dez anos de vida a seco. Mas voltando à música. O meu espírito vagueia pelos acordes nostálgicos de Colplay, o revivalismo "Lost Cause" de Beck, as cores de opereta dos Divine Comedy, as mentiras dos Arcade Fire, o deserto de areia de Nitin Sawhney, o soft-pop dos Nouvelle Vague, a obra-prima escondida de Mafalda Veiga, a chuva da Mariza, o "Por Quem Não Esqueci" dos Sétima Legião (feel free to laugh at me...)... Opto por desligar tudo, por não ouvir nada, para não sentir nada, para esquecer tudo, e mesmo assim continuo a escutar a voz que canta a tristeza máxima: "Há gente que fica na história / Na história da gente". Hoje é o primeiro dia. A minha tristeza é maior que o arco-íris que cobre os céus de fim de tarde. "As coisas vulgares que há na vida / Não deixam saudade / Só as lembranças que doem / Ou fazem sorrir".

8 comentários:

laterlink disse...

ainda não ouviste Karate...podia ser que qualquer coisa.

MiSs Detective disse...

é engraçado como normalmente as musicas tomam conta de nos nos momentos menos delizes da nossa vida. e mais engracado como quando felizes passam-nos muito ao lado e cantamos tudo sem nos aperceber.. as vezes em prenuncio de um futuro menos bom. as musicas que gostavamos assim mais ou menos tomam um grande significado. Este verao ouvi varias vezes o chasing cars dos snow patrol, mas nunca tão sentido como durante todo o outono.

Drifting Along disse...

Music makes the world go round.

ikki disse...

Antigamente chamava-me miak e escrevia no "Duende Feliz".

http://oduendefeliz.blogspot.com/

Passa por lá, por favor.

criptog disse...

Quando por vezes as emoções dependem demais dos discos que insistem em rodar na nossa cabeça, é bom sermos nós a escolher a música que queremos cantarolar! (eu normalmente prefiro assobiar)
:)

kalash disse...

A vida é mesmo um filme com uma grande banda sonora. É impossível não associar as musicas de uma vida dos seus momentos marcantes.

Com tanta tristeza e a escrever posts como estes só paras no Pulitzer.

Hang in there - "The sun will come out tomorrow"

Garota de Ipanema disse...

Qual quê uma imagem, uma música sim vale mais que 1000 palavras!Para mim a música é também algo que eu faço questão que me acompanhe dia-a-dia, sou totalmente addicted!!!Assumidissima e com muitissimo gosto :) logo é de esperar que as músicas que ouvimos interfiram no nosso dia a dia e que quando estamos um pokito mais triste tendamos ( acaba por ser estútido) em ouvir músicas que nos poê mais em baixo em vez de nos animar!!!A mente humana é assim...;P

El-Gee disse...

não há duvida que não escolhes nada mal o que ouves..no entanto, tem piada reparar que - sem excepção - as bandas que escolhes são trágicas e nostálgicas.