quinta-feira, novembro 02, 2006

Regresso ao futuro

Quatro e meia da tarde e eu enrolada nos lençóis, cheia de sono, porque me levantei cedo (leia-se 10 horas) e já não estou habituada a estas andanças... O que vale é que o meu bom humor me acompanho durante estas horinhas de siesta, em que me esqueci por completo que hoje ia dar início à minha antiga rotina de vida pseudo-saudável: voltei ao ginásio! ("Ou em inglês, I'm back to the gym!" - não façam caso, é uma private tão private que nem sei a quem se dirige...) Escrito assim é uma grande mentira, porque não voltei ao meu ginásio, ao sítio onde me aturaram durante cinco anos... Mas pronto. O importante aqui é que voltei a UM ginásio. Gostei do conceito "One Live. Live It Well.", da proximidade da minha casa, do descontão que tenho por pertencer à agência (thanks, buddies!!!), e da possibilidade de dar um salto em todos os departamentos que o Holmes tem pela cidade. Por isso, exactamente um ano depois de ter treinado pela última vez, lá fui eu, cheia de energia!!
O treinador pessoal teve uma paciência de santo, até porque não havia assim muito a saber - eu podia não andar a suar pelas estopinhas diariamente há 12 meses, é verdade, mas também não estou assim tãoooo fora de forma. A prova é que fiz tudo à primeira, e bem. E já nem queria parar de brincar com as máquinas! O moço é que teve de me avisar, "Vamos com calma, que está há muito tempo parada...". Saí dali debaixo de uma chuva torrencial, e por momentos pensei que S. Pedro estivesse à beira de um ataque de nervos, para tratar Lisboa com tanta violência. Os meus pensamentos devem ter sido ouvidos lá em cima, porque em menos de nada começou a chover mais ainda, e aquele saco que no "American Beauty" ficava muito bem ao som do vento, não deu jeito nenhum aos condutores que às sete da tarde tentavam regressar a casa...
Ok, estamos em Novembro, tem de cair água do céu, só que apanhar música de m**** em tudo o que é posto de rádio é que já é uma grande praga! Os hits de 2006 sabem a sushi de ante-ontem, e parece que não há uma cançãozinha que nos faça sorrir durante os três minutos da praxe. Penso nisto e carrego nos botões, 1, 2, 3, quando de repente, na MegaFm, dá uma música que me congela como se tivesse estado a tarde toda a fazer de polícia sinaleiro. Não gozem. Tenho a certeza de que, na altura, todos a acharam o máximo. E, olhando para trás e para a frente, posso afirmar sem vergonha que a letra é de facto muito bonita. Chego a casa num abrir e fechar de olhos. E lembro-me de coisas que já lá vão. E fico um bocadinho com elas, só para que não desapareçam em três minutos.
"Tudo O Que Eu Te Dou", Pedro Abrunhosa

Eu não sei, que mais posso ser

um dia rei, outro dia sem comer

por vezes forte, coragem de leão

às vezes fraco assim é o coração

eu no sei, que mais te posso dar

um dia jóias noutro dia o luar

gritos de dor, gritos de prazer

que um homem tambm chora

quando assim tem de ser

Foram tantas as noites sem dormir

tantos quartos de hotel, amar e partir

promessas perdidas escritas no ar

e logo ali eu sei...

(Que) Tudo o que eu te dou

tu me dás a mim

tudo o que eu sonhei

tu serás assim

tudo o que eu te dou

tu me dás a mim

e tudo o que eu te dou

Sentado na poltrona, beijas-me a pele morena

fazes aqueles truques que aprendeste no cinema

mais peço-te eu, já me sinto a viajar

pára, recomeça, faz-me acreditar

"Não", dizes tu, e o teu olhar mentiu

enrolados pelo chão no abraço que se viu

é madrugada ou é alucinação

estrelas de mil cores, ecstasy ou paixão

hum, esse odor, traz tanta saudade

mata-me de amor , dá-me liberdade

deixa-me voar, cantar, adormecer

(Que) Tudo o que eu te dou

tu me dás a mim

tudo o que eu sonhei

tu serás assim

tudo o que eu te dou

tu me dás a mim

e tudo o que eu te dou...

1 comentário:

nika_liu disse...

Já vi um concerto dele em que essa foi uma das musicas que ele não cantou...simplesmente deixou o público cantar, numa noite estrelada de maio com uma lua cheia enorme sobre nós!