quarta-feira, setembro 20, 2006

Confessions



Porque o tempo também se conta pelos momentos que não se viveram, e que são por isso irrepetíveis, atrevo-me a dizer que tenho saudades. Saudades desse tempo que não chegámos a viver. E atrevo-me, também, a confessar que queria poder parar o tempo, por um tempo, para termos todo o tempo para estar juntos. Porque o tempo não volta para trás, mesmo havendo tempo para a frente. É este o meu pecado: tenho saudades.

3 comentários:

Pedro Martins disse...

"Uma das escolas de Tlon chega a negar o tempo: raciocina que o presente é indefinido, que o futuro não tem realidade senão como esperança presente, e que o passado não tem realidade senão como recordação presente. Outra escola declara que já decorreu todo o tempo e que a nossa vida é apenas a lembança ou reflexo crepuscular..." J. Borges

nika_liu disse...

Saudades,uma palavra de sonoridade suave que fala de um tempo que se deseja recuperar, de memórias que se desejam viver mais uma vez e talvez ainda melhor! Lida-se com essa palavra e continua-se em frente para aproveitar a vivência que, mais tarde e uma vez mais, nos irá deixar saudades!

estiveste mal disse...

Bonito.