sábado, agosto 12, 2006

Três

Três momentos únicos: Quando nasci, quando disse a primeira palavra, e quando comecei a andar
Três coisas que ponham os cabelos em pé: Mentiras, Desilusões (já foram muitas...), Mind Games
Três manjares que façam água na boca: Sushi, Comida Italiana, Crepes
Três lugares marcantes: Lisboa (vista do Tejo, então, é indescritível...), Rio de Janeiro, Santarém
Três palavras que digam tudo: "Amiga", "Adoro-te", "Sincero" (e muitas, muitas mais)
Três objectos essenciais: Computador, Telefone (é uma vergonha, mas é verdade...), Óculos de Sol
Três filmes que guardo na memória: "Casablanca", Annie Hall", "Breakfast at Tiffany's"
Três músicas que me causem arrepios: "Where The Streets Have No Name" (U2), "Esquadros" (Adriana Calcanhoto), "Lost Cause" (Beck)
Três desejos: Escrever até que a mão me doa, Amar até o coração deixar, Morrer e sentir que fui feliz um dia
Três razões para estar nesta vida: Aprender tudo o que puder, Partilhar o que me deixarem, Descobrir aquilo que conseguir
NOTA: Ideia brutalmente copiada do blog BecBec (becbec.blogspot.com), ficando os leitores desde já a saber que avisei o Bu que ia pegar no post dele, que por sua vez foi buscar inspiração a um outro sítio. Escrito isto, já posso ir dormir tranquila, sem medo que me acordem com acusações de plágio ou qualquer coisa parecisa. Boas noites. (Então não é que quando acabo de escever são precisamente TRÊS DA MANHÃ?! CREDO...)

12 comentários:

Nuno disse...

Por respostas a comments de posts anteriores, já percebi que não dás o teu mail a desconhecidos. (não sou a mesma pessoa que escreveu como anónimo)...
Infelizmente, sou um desconhecido, com nome, Nuno.
Imagino que não seja usual de todo, este pedido, mas escrevo à vontade porque já vi que os comments tem moderação (pelo que peço que não aproves este comment, era só a única forma que tinha de comunicar, não tem que ficar explicito no post se não quiseres, ate porque nao está directamente ligado a ele...)... Queria pedir-te um mail qualquer que leias, por favor... Pode ser um qualquer, mesmo...
Acho que isto tem limite de caracteres, assim como as mensagens pelo Hi5, e... bem, o mail que eu gostava de te mandar era... maior que esse limite... Sei que é um risco, e dizer que não sou um psicopata não vai ajudar só por aí, :) mas... bem, mas não sou!!
Pode ser um mail qualquer, um alternativo, qualquer coisa, de todo... Prometo que mando um e só um mail. E não chateio mais, prometo... Mas é que não tenho mesmo outra forma de te dizer algo se não for assim... Desculpa, compreendo se não quiseres, mas peço-te que aceites o risco.
Não posso garantir que valha a pena, mas posso garantir que sou inofensivo... :$
Como, compreensivelmente, não queres tornar nenhum mail teu público, eu deixo o meu: o_nahar@msn.com... para o caso de decidires mandar... Nem que seja um criado para o efeito, se não for abusar da tua boa vontade... (sei que é pedir muito, de um completo desconhecido, mas só me consigo explicar... no mail...)
Obrigado desde já, seja qual for a resposta...
Respeitosos cumprimentos,
Nuno.

R. disse...

Sempre gostei desta parte:

"Eu ando pelo mundo e meus amigos, cadê?
Minha alegria, meu cansaço?
Meu amor cadê você?
Eu acordei...
...não tem ninguém ao lado."

R. disse...

(Pedindo desde já desculpa, confesso que não me contive.)

Carta aberta ao senhor/rapaz/menino Nuno:

Se a menina K. não quer dar o seu mail a desconhecidos por alguma razão será, não? Acha que é porque ela é anti-social ou será porque, se calhar, a menina K. não está interessada em fazer o papel de Mel na peça "As moscas e o Mel"? E depois, o que é que lhe quer mandar que não cabe no limite de caracteres? A Bíblia? Um capítulo inteiro do último livro do Lobo Antunes? Sim, tudo o que é envolto num certo mistério tem uma certa piada mas, porque não enviar o tal texto/"qualquer coisa que seja" para o hi5 às partes? Dá a sensação que queres mesmo é ter o mail da menina. Shame on you! E porquê? Não te chega lê-la aqui de vez em quando? Ou o teu interesse não é meramente espiritual? Devias-te ter distanciado de toda a raça masculina! Devias ter dito que se ela fosse muito feia e pesasse 90 quilos, o teu interesse seria exactamente o mesmo. Isso sim, teria sido engraçado. A menina K. ouve Adriana Calcanhoto, aprecia poemas de Neruda e até é fã da Miss Hepburn a cantar, o delicioso, Moon River no Breakfast at Tiffany's, achas mesmo caro Nuno, que tens algum texto capaz de a impressionar ao ponto de ela te dar atenção durante mais do que 10 segundos?

Faz assim caro Nuno, convida-a para um café. Tens 99,9% de hipóteses de ela dizer não e 0,1% de dizer sim. Se ela disser não acaba-se o teu sofrimento, vais para o quarto carpir as mágoas e no dia seguinte acordas como novo. Se ela disser sim, vais tomar o café, gaguejas duzentas vezes, falas sobre o tempo, ela atura-te 15 minutos e depois vai para casa, agradecendo-te solenemente pela tarde mais entediante da sua, ainda não tão longa mas muito jovial, vida.


PS: "e dizer que não sou um psicopata não vai ajudar só por aí"
Insane people are always sure that they are fine. It is only the sane people who are willing to admit that they are crazy. (Nora Ephron)

criptog disse...

Adoro "Mind Games" (i.e. na interpretação Mind Games = enigmas, quebra-cabeças). Quando quiseres os cabelos em pé por um bom motivo é só dizer.
:)

MysterOn disse...

Lolitrada...

Essa carta aberta partiu tudo...

Life is a Masterpiece, so don't waste your time with "Lost Causes" mate (Nuno).

Este blog começa a ter piada, bem mais piada do que eu estava à espera, aquando do meu primeiro contacto com ele. Miss K, começo a desconfiar do porquê das persseguições...although still need confirmation.

Kissez for the Missez

Nuno disse...

Caro Senhor(a) anónimo(a)/r.

É uma pena que não tenha entendido que a mensagem não se destinava a si. Não conhecendo em profundidade a menina K., como não sei se o(a) senhor(a) conhece, tenho contudo a certeza que ela será capaz de responder por si própria, sem ter que advogar noutro(a) o argumento replicativo, por muito inflamado ou sentido que seja... Ou então, simplesmente não responder. É o direito dela. Se o meu comment porventura não lhe agradou a si, tenho a lisura e quiçá o pesar de lhe transmitir que também não era esse o objectivo. Em relação aquilo que o(a) senhor(a) conhece sobre o que eu posso transmitir ou não num texto, com toda a franqueza, não estou interessado na sua opinião. De qualquer forma, visto que comenta de forma anónima, seria complicado, ainda que quisesse fazê-lo, enviar-lhe um texto para sua prévia apreciação e/ou filtragem, antes de o poder enviar à menina K.
Dito isto, agradeço-lhe os seus sábios conselhos, ainda que tenham sido tecidos sem que faça a mínima ideia das minhas intenções, gostos, interesses ou capacidades. Se julga todos os homens pelo seu próprio exemplo, no caso de ser um, faz mal. Mas também não me compete julgá-lo(a) a si, pelo que é livre, enquanto não for ofensivo(a) (como não tenho a certeza que não tenha sido), de o fazer...

"Dá a sensação que queres mesmo é ter o mail da menina. Shame on you!"... Sim, porque de facto com o email de alguém, é possível exercer as piores perfídias, os crimes mais horrendos, e as vilanias mais pútridas. Não sei, sinceramente, até onde vai a sua imaginação... De qualquer forma, espero que não lhe tenha dado apenas a sensação. Porque eu gostava mesmo de ter o mail. Mas, mais uma vez, é uma decisão que não lhe compete, e como tive oportunidade de referir, que aceitarei seja qual for a escolha da menina K.. O pior que me pode acontecer é, efectivamente, ter “apenas” que acompanhar a excelente prosa dela por aqui, e isso dificilmente pode ser catalogado de mau.
Quanto a si, espero que se mantenha sempre assim tão opinativo(a) relativamente aos assuntos alheios, demonstra sem dúvida ser uma pessoa assertiva e atenta, que necessita quiçá apenas de um balizamento mais adequado das suas intervenções.
Em todo o caso, obrigado.

Senhor/rapaz/menino Nuno. (penso que saudavelmente consigo ser um pouco de tudo, conforme as ocasiões, pelo que julgo que acertou...)

R. disse...

Caro Nuno,

Vamos por partes. Primeiro, parece-me justo salientar, visto que me acusa de tal facto, que quem trouxe o "assunto alheio" para praça pública foi (pasme-se!) você. Quem usou uma zona dedicada a comentários sobre os posts do blog para uma tentativa de tentar conseguir atenção, entre aspas, da dona do blog foi (pasme-se de novo!) você.

Oscar Wilde disse um dia "It is absurd to divide people into good and bad. People are either charming or tedious.". Posto isto, tenho-lhe a dizer que não o conheço, é verdade. Não sei o que faz na vida, nem o que lê, nem o que ouve. Ainda assim sei algumas coisas pelo que escreve e pela forma como o faz. E o que notei na sua escrita foi que está carregada de posições de inferioridade: "um mail qualquer que leias, por favor... Pode ser um qualquer, mesmo..." ; "e dizer que não sou um psicopata não vai ajudar só por aí" ; "Prometo que mando um e só um mail. E não chateio mais, prometo..." ; "mas posso garantir que sou inofensivo" ; "se não for abusar da tua boa vontade... ". O que me leva a pensar, se vai começar de "gatas" está a pedir para ser o quê, cadeira?

Da mesma forma, tenho a dizer que não conheço a Miss K., mas uma coisa sei com toda a certeza, ela já ouviu 1001 elogios de 1001 formas diferentes, de 1001 homens diferentes. Tudo isto faz com que ela se sinta muito bem "in her shoes" (or in a lovely red and white bikini). Jovem, bonita, inteligente, viajada, culta... Acha que é sendo "inofensivo" caro Nuno que a vai puxar para a sua "órbita"?

Por último caro Nuno, você disse: "Sim, porque de facto com o email de alguém, é possível exercer as piores perfídias, os crimes mais horrendos, e as vilanias mais pútridas.". Ao que eu, caro Nuno, respondo que não conheço nada tão meretório dos mais ilustres vitupérios do que alguém que nos causa tédio, seja de que forma for. People are either charming or tedious.


PS: Não assinei anónimo, assinei com um R. que é por sinal a inicial do meu nome próprio. Não que isto tenha algum interesse para o assunto, mas não quis que ficasse equivocado.

MysterOn disse...

...Podímaos era criar um mini fórum! Assim debatia-se a fundo a questão...

By the way: my doubts on the "annonimous Miss K followers" have been clarified by Mr/Miss R..."ela já ouviu 1001 elogios de 1001 formas diferentes, de 1001 homens diferentes"..."Jovem, bonita, inteligente, viajada, culta...".
Breve breve sou eu que te peço o mail eheheh (joke).

Cya dudes, I'll stick around if you don't mind ;)

Nuno disse...

Caro r. (se considera isto a sua identificação, de facto, muito explícita...)

Esta "conversa" não faz sentido. Já reparou?... Disse-lhe e repito-lhe: não estou interessado na sua opinião. Custa muito a compreender?
Porque insiste em dá-la?
Acresce a isto que, se reparou bem no conteúdo do meu primeiro comment, ele era efectivamente dirigido à dona do blog... Como tal, e penitenciando-me pela eventual falha própria de compreensão, ultrapassa-me o facto de porque é que, assim sendo, insiste em opinar na matéria.
Não obstante, e não sendo assim tão abonatória a sua opinião acerca da minha pessoa, fundamentando-se, imagine, no "muito" que sabe "pelo que escreve e a forma como o faz", não consigo compreender o que o motiva. Devo-lhe explicações sobre se vou ser cadeira, móvel da sala de jantar ou carro descapotável da miss K.?... Francamente, parece-me que não. Aliás, as suas expectativas relativamente ao que eu vou ser ou não, nesta matéria são, estou certo, e felizmente, diferentes das minhas.
Eu percebo o que me quer dizer quando diz isto... Mas pelo menos, seja franco consigo mesmo e assuma-o. Vai ver que se vai sentir muito melhor...

Mais: para quem, como afirma, não conhece a miss K., está muito certo das opiniões dela... O que me deixa curioso também acerca de até que ponto você me conhece para me classificar "aquém" da “órbita” dela em capítulos tão prosaicos como a juventude, beleza, inteligência, cultura e gosto de viajar... De facto, a sua capacidade de perceber muito em tão poucas palavras minhas é estonteante. Sem desprimor para a sua actividade actual, dava um psicólogo razoável, se tiver capacidade para tanto, ou quiçá um bom vidente de feira. Contudo, e certamente para sua grande pena, dado o interesse demonstrado, não vai ser aqui nem consigo que vou ter oportunidade de esclarecer as dúvidas que o assolam sobre as minhas características físicas/psicológicas. (ou sobre quaisquer outros assuntos, na verdade).

Para terminar, infelizmente, repito-me. Para lhe dizer que se lhe causo tédio, como intensamente espero (na perspectiva directa que seria assustador se VOCÊ me considerasse charmoso), solicito que me elimine como seu assunto de divagação. Estará certamente a fazer um favor à sua auto-estima, e certamente a todos os que duma forma ou de outra são obrigados a lê-lo aqui...
Ah, e já agora, por favor, deixe os outros/as fazerem os seus próprios juízos de valor.
Obrigado.

P.S. Já que gosta tanto de citações, tenho todo o gosto em deixar-lhe aqui uma ou outra que talvez lhe façam proveito no futuro, entendendo-as ou não:

“... sempre existiram os tolos e os sagazes; depois, há os que não sabem o que são, e olhe que são os que mais me preocupam.”
Terry Pratchett

“Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o escuro do silêncio ao invés do alvo e claro, e os pingos nos is pardentos a um redemoinho de emoções, exactamente as que resgatam o brilho nos olhos, o sorriso nos lábios e coração aos tropeços.”
Pablo Neruda

Citações são engraçadas, não nego, mas o que era curioso era se dissesse alguma coisa original... Mas não se mace, não se mace...

R. disse...

Nem todas as batalhas merecem ser travadas e não é qualquer idiota que pode ser meu inimigo.

R.

PS: Wish granted. The End.

Miss K. disse...

...
...
...

"Oh God, make good, but not yet!"

:)

R. disse...

Mine's better Miss K.,

"Give me chastity and give me constancy, but do not give it yet."