domingo, agosto 20, 2006

Sim, eu também ouvi dizer que Deus estava a dormir

Ainda a propósito da frase que aqui pus no outro dia...

"God's finger touched him, and he slept." Alfred Lord Tennyson, poeta inglês que viveu no século XIX, descobriu a pólvora! Claro! Tinha de haver uma explicação para esta confusão que é o mundo em que vivemos... Aqui há muitos, muitos anos, a mão de Deus tocou-lhe (esta história de Deus se tocar com os próprios dedos dava pano para mangas, mas isso são contas para outro rosário) e Ele adormeceu. Até agora. E, pelos vistos, para sempre.
De outra maneira, como se explica que mulheres histéricas vestidas de batas escuras da cabeça aos pés eduquem os filhos para matar em nome de "Alá"? Pior, que se orgulhem disso e, se preciso for, se façam explodir elas mesmas, arrastando consigo um sem-fim de inocentes? Não consigo, não posso e, com toda a sinceridade, acho que nem quero entender. Como se justifica que se viva num planeta em que toda a gente desconfia de toda a gente? Se é preto é porque é ladrão, se é muçulmano é porque vai mandar o autocarro pelos ares, se é indiano cheira mal e não o queremos ao pé de nós, se é chinês é parolo… E nós, o que é que somos? Não devia andar por aqui esse tal Deus a pôr tudo em harmonia?
Pois é, que se a vida real é cinzenta, o que me chega pela televisão e pelos jornais também não é lá muito animador – milhões de pessoas infectadas com o HIV, outras tantas a viver no limiar da pobreza, guerrilhas sangrentas na Serra Leoa, na Libéria, no Sri Lanka, na Birmânia, no Burkina Faso, no Sudão, e em tantos outros países de que ninguém fala, democracias invisíveis no Afeganistão e no Iraque, Líbano em chamas, Coreia do Norte com um arsenal de mísseis que pode ser tão pesado como todas as peças da Legolândia… Estarei a esquecer-me de alguma coisa? De Portugal nem falo, só é cego quem tapa o sol com a peneira, e para tal já nos bastam os fogos.

Além dos miseráveis desastres naturais que nos últimos anos têm visitado e devastado regularmente o planeta azul (ó Sr. Deus, isso lá é altura para se estar na siesta?!), a pior coisinha que nos aconteceu deve mesmo ter sido a eleição do Bush-filho para presidente dos Estados Unidos da América. "Explica-me como se eu fosse uma criança de quatro anos" como é que um tipo daqueles se torna da noite para o dia o homem mais poderoso à face da terra. Tem um sorrisinho forçado que dá dó, não sabe ler os discursos que não sabe escrever, e não percebe que ninguém está interessado em vê-lo com os seus cãezinhos e a sua Laura, de férias, enquanto milhares de jovens soldados enfrentam uma luta cujo sentido, a existir, só ele saberá. "Bring it on!"?! Sim, mestre, então põe o capacete, pega na metralhadora e age como o chefe das Forças Armadas - vai para o campo de batalha e luta com os teus homens. Quantos dias aguentas?
Voltamos, portanto, à pergunta central: continuará Deus no seu sono prolongado? É bem possível que sim. Nascemos para ser os "escolhidos" ou os "desafortunados", havendo dentro dessas duas classes variadas categorias. Isso revolta-me. Essa divisão não faz sentido num mundo com Deus. As pessoas deviam nascer para serem felizes nem que fosse uma vez na vida. E há quem passe o tempo todo da vida apenas a sobreviver… O que me consola é saber que não sou só eu que estou contra Deus, ou que me inquieto com as suas ausências. No final de Maio, o Papa Bento XVI terminou a sua visita à Polónia com uma passagem pelo antigo campo de concentração de Auschwitz. Num ambiente recheado de emoção, perguntou, "Onde estava Deus, no tempo do Holocausto?"
Moral da história que não é história: se um Papa, que é o representante máximo de Deus na Terra, se pode questionar acerca da sua omnipresença, por que não posso eu, ateia convicta e crente desconfiada, acreditar que O Todo Poderoso, depois de uma noite de farra com os amigos, tocou com a mão direita no relógio para ver as horas, e adormeceu?

4 comentários:

R. disse...

"As pessoas deviam nascer para serem felizes nem que fosse uma vez na vida."

Wislawa Szymborska escreveu:

"Let the people who never find true love
keep saying that there's no such thing.

Their faith will make it easier for them to live and die."

R. disse...

PS: O poema completo em: http://www.cs.rice.edu/~ssiyer/minstrels/poems/694.html

Miss K. disse...

"As pessoas deviam nascer para ser felizes nem que fosse uma vez na vida."

Percebo o que dizes, faz algum sentido até, mas mantenho o que escrevi: toda a gente devia poder ser feliz nem que fosse por um momento. Porque afinal a felicidade é isso mesmo - momentos.

Su disse...

Eu já quase desisti...tenho uma lista considerável de facturas para a apresentar ao Sr. Deus (sim, pq apesar de tudo eu ainda acredito nesse Sr. Deus)...Ele (ou Ela) está concerteza a trabalhar noutra galáxia, dimensão, Universo, etc...mas vai voltar, vai pois. E nessa altura, vamos acertar umas quantas contas... eu, Sr. Deus e mais uns quantos milhões que tb lhe querem falar (nem imagina o que Lhe espera...)